17 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade

Dia: 28 de agosto de 2021

CRB motivado e reforçado enfrenta o Cruzeiro neste domingo

CRB motivado e reforçado enfrenta o Cruzeiro neste domingo

Esportes
Neste domingo, 29, Alagoas se veste de vermelho e branco e espera comemorar em tom maior, se tudo correr como esperam os torcedores alvirrubros. É que o CRB recebe às 16 horas no Estádio Rei Pelé, o Cruzeiro (MG) em partida válida pela 21ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O duelo coloca frente a frente as equipes que estão há mais tempo invictas na Segunda Divisão. Enquanto os alagoanos não perdem há nove partidas (cinco vitórias e quatro empates), os mineiros acumulam sete jogos sem derrotas (três vitórias e quatro empates). O Cruzeiro, que amargou várias rodadas na zona de rebaixamento, hoje, treinado pelo técnico Wanderley Luxemburgo, é outra equipe e bastante motivada. Mas, o Luxemburgo não poderá repetir a escalação que vinha dando certo desde que assuiu. O
Aneel diz que reajuste da energia deve ficar entre 50 ou 58% com bandeira vermelha

Aneel diz que reajuste da energia deve ficar entre 50 ou 58% com bandeira vermelha

Brasil
  A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou comunicado na noite desta sexta-feira, 27, confirmando que o preço da energia continuará sendo cobrado com bandeira tarifária vermelha patamar 2 – a mais alta – em setembro. Além disso, a energia deve sofrer um reajuste entre 50% e 58%, com o valor passsando dos atuais R$ 9,49 para R$ 14,20 para cada 100 quilowatts-hora (kWh). A decisão sobre o novo valor foi tomada durante reunião entre Jair Bolsonaro (Sem partido) e ministros da Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg), criada em junho para gerir a crise hídrica. O valor da bandeira vermelha patamar 2 já tinha sido reajustado em 52% para o mês de julho, passando de R$ 6,24 por 100 kWh para os atuais
Bolsonaro admite destino em caso de derrota na Eleição 2022: ‘ser preso ou morto’

Bolsonaro admite destino em caso de derrota na Eleição 2022: ‘ser preso ou morto’

Política, Vídeos
Discursando para lideranças evangélicas em Goiás, o presidente Jair Bolsonaro admitiu na manhã deste sábado (28) que seu futuro depende das eleições do próximo ano. E que casa não seja reeleito presidente, vai estar preso ou morto. E já disse não ter chances dele ser preso. Prisão, no caso, ao menos por consequência das acusações contra ele apuradas pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19 no Senado. "Digo uma coisa aos senhores. Tenho três alternativas para o meu futuro: estar preso, ser morto ou a vitória. Pode ter certeza: a primeira alternativa, preso, não existe. Nem um homem aqui na Terra vai me amedrontar. Tenho a consciência de que estou fazendo a coisa certa. Não devo nada a ninguém. E ninguém deve nada a mim também". Jair Bolsonaro. A fala do presidente a
Os idiotas querem feijão, mas a bestialidade humana alimenta os fanáticos

Os idiotas querem feijão, mas a bestialidade humana alimenta os fanáticos

Blog, Marcelo Firmino
Em menos de 1 ano o arroz e o feijão tiveram uma alta de 60%, de acordo com dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor INPC). Com 15 milhões de desempregados no País são poucos os que podem comprar feijão para colocar na mesa, no dia a dia. Pior ainda é saber que no Brasil há quase 20 milhões de pessoas passando fome, segundo dados do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19, da pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan). E a extrema pobreza quase triplicou, passando de 4,5% da população para 12,8%, em 2021. Ou seja, a miséria bate à porta dos brasileiros em uma conjuntura de descontrole da economia. O Tsunami social que pegou o Brasil tem nome e escapar das consequências é que será o pr
Variante Delta: situação é muito grave, diz pesquisadora da Fiocruz

Variante Delta: situação é muito grave, diz pesquisadora da Fiocruz

Brasil
A variante Delta da Covid-19 que chegou ao País tem sido um fator de grande preocupação para a comunidade científica brasileira. Com o crescimento da incidência da variante Delta em vários Estados diversas autoridades sanitárias têm feito alertas à população, para que não abandonem as normas de segurança. Segundo a cientista Margareth Dalcomo – médica pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) –, “a situação é muito grave”. A declaração foi dada durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais. A médica e pesquisadora foi  enfática ao dizer que “a cepa tem todas as condições de transmissibilidade para ficar dominante no Brasil”. “Essa cepa [de origem indiana] é de cinco a seis vezes mais transmissível. Só para se ter uma ideia, cada c