27 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade

Dia: 14 de outubro de 2021

Renan Filho autoriza creches para Viçosa e Chã Preta e anuncia estradas do Alagoas de Ponta a Ponta

Renan Filho autoriza creches para Viçosa e Chã Preta e anuncia estradas do Alagoas de Ponta a Ponta

Alagoas
O governador Renan Filho autorizou, nesta quarta-feira (13), em Viçosa, o início das obras de construção de duas creches do Programa CRIA - Criança Alagoana: uma neste município e outra em Chã Preta. Durante a solenidade, ele anunciou, ainda, a implantação dos acessos à Cachoeira do Anel e ao povoado Sabalangá, por meio do programa Alagoas de Ponta a Ponta. As creches que serão construídas em Viçosa e Chã Preta integram as ações do programa Creches CRIA. A iniciativa vai universalizar o acesso a todas as crianças de 0 a 3 anos de idade em Alagoas. Até o final da execução do programa, mais de R$ 805 milhões serão investidos e oito mil empregos diretos gerados para construção de 200 creches em Alagoas. "Enquanto o Brasil perde vagas em creches, nacionalmente, aqui em Alagoas a g
Seleção enfrenta hoje o Uruguai pelas Eliminatória da Copa 2022

Seleção enfrenta hoje o Uruguai pelas Eliminatória da Copa 2022

Esportes
Independente de combinação de resultados, mesmo que vença o Uruguai, em partida que tem início às 21h30 de hoje (14), o Brasil não estará matematicamente classificado à Copa do Mundo de 2022 (Catar). Porém, o resultado do confronto na Arena da Amazônia, em Manaus, pode representar, extraoficialmente, a confirmação da vaga. Se vencer, a seleção chegará a 31 pontos. Nunca uma equipe que tenha somado ao menos 30 pontos nas Eliminatórias Sul-Americanas ficou de fora de uma edição do Mundial. E para o confronto diante dos uruguaios, o técnico Tite esboçou diversas mudanças em relação ao time que começou a partida contra a Colômbia, no último domingo (10), quando a seleção perdeu os 100% de aproveitamento ao empatar por 0 a 0. O técnico testou a movimentação de duas formações com de
Queiroga defende passaporte sanitário e bolsonaristas pedem exoneração do ministro

Queiroga defende passaporte sanitário e bolsonaristas pedem exoneração do ministro

Política
Voláteis, os bolsonaristas vão do amor ao ódio com aliados do presidente a qualquer sinal de contradição dos mandos e desmandos do presidente Jair Bolsonaro. A nova vítima da vez é Marcelo Queiroga, ministro da Saúde que defendeu o passaporte sanitário porque "todos estarão vacinados", justamente horas depois do presidente dizer que nunca vai se vacinar. Leia mais: Bolsonaro, que tem sigilo de 100 anos no cartão de vacinação, diz que “não vai se vacinar” À CNN, na noite de quarta-feira (13), Queiroga disse considerar o passaporte sanitário como o "CPF de cada brasileiro porque todos estarão vacinados”. Ele também defendeu a retirada da obrigatoriedade das máscaras, à medida que o controle sanitário seja reforçado. Contrário às leis que obrigam o uso, ele prefere campanhas d
Maceió segue vacinando adolescentes, aplicando 2º dose em adultos e reforço em idosos e profissionais da saúde

Maceió segue vacinando adolescentes, aplicando 2º dose em adultos e reforço em idosos e profissionais da saúde

Maceió
A vacinação contra a Covid-19 segue com aplicação da primeira dose para pessoas de 12 anos ou mais, segunda dose para adultos e dose de reforço para idosos com 60 anos ou mais e profissionais de saúde com seis meses completados desde a aplicação da segunda dose, além de imunossuprimidos com pelo menos 28 dias da segunda dose. Aos adolescentes entre 12 e 17 anos a Prefeitura administra exclusivamente a vacina da Pfizer, único imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para este público menor de 18 anos. O intervalo entre a primeira e a segunda doses observa os prazos de 28 dias para a segunda dose da Coronavac, oito semanas (56 dias) entre a primeira e a segunda doses da Pfizer e antecipação de dez dias da Astrazeneca, ou seja, 74 dias entre a pri
Isnaldo Bulhões critica Lira por PL que muda ICMS dos combustíveis: ‘cortina de fumaça’

Isnaldo Bulhões critica Lira por PL que muda ICMS dos combustíveis: ‘cortina de fumaça’

Política
Líder do MDB na Câmara, o deputado Isnaldo Bulhões (AL) criticou o texto votado ontem que aprovou o PL que muda a cobrança do ICMS de combustíveis. “O presidente da Câmara Arthur Lira e o líder do governo Ricardo Barros quebraram o acordo firmado em relação ao PLP 11/2020. O acordo seria votar o texto do PLP 105/21, que daria transparência ao consumidor", afirma o deputado, autor do PLP 105. "Essa ação é uma verdadeira cortina de fumaça. Tenho falado há meses: outros são os fatores que influenciam os preços de combustíveis, o primeiro é a política econômica do governo Bolsonaro, que desvaloriza cada vez mais o real e provoca o descontrole da inflação. O outro fator é a política da Petrobras, que tem o Estado seu maior acionista”. Isnaldo Bulhões. Assim como Tereza Nelma (PSDB), Isnal
Gasolina a R$ 4,26 por litro? Câmara aprova mudança no ICMS para combustíveis

Gasolina a R$ 4,26 por litro? Câmara aprova mudança no ICMS para combustíveis

Política
O plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (13) um projeto de lei que estabelece um valor fixo para a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis. A proposta foi aprovada por 392 votos a favor, 71 contra e 2 abstenções. O texto segue agora para análise do Senado. O substitutivo do relator, deputado Dr Jaziel (PL-CE), obriga estados e o Distrito Federal a especificar a alíquota cobrada do ICMS de cada produto pela unidade de medida adotada (litro, quilo ou volume) e não mais sobre o valor da mercadoria, como ocorre atualmente. A proposta torna, na prática, o ICMS invariável frente a oscilações no preço dos combustíveis e de mudanças do câmbio. Pelas estimativas apresentadas pelo relator, as mudanças estabe
Militares são condenados pelo fuzilamento de músico e catador em 2019

Militares são condenados pelo fuzilamento de músico e catador em 2019

Justiça
O Tribunal de Justiça Militar condenou oito militares do Exército responsáveis pela morte do músico Evaldo Rosa e do catador Luciano Macedo em abril de 2019. Depois de mais de 15 horas de julgamento, na madrugada desta quinta-feira (14), a juíza Mariana Aquino absolveu outros quatro oficiais que não dispararam suas armas no dia do crime. A condenação foi de 31 anos e seis meses em regime fechado para o Tenente Nunes e todos os outros sete foram condenados a 28 anos de reclusão e regime fechado. Os 8 condenados serão expulsos da corporação por culpabilidade comprovada. Os outros quatro que não deram disparos no dia do crime foram absolvidos. Todos os 12 foram absolvidos por omissão de socorro. Dos cinco integrantes do Conselho, formado por uma juíza federal e quatro juízes m