27 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade

Dia: 3 de novembro de 2021

Secult divulga programação do IV Festival em Cantos de Alagoas

Secult divulga programação do IV Festival em Cantos de Alagoas

Alagoas
O Festival de Música Popular Alagoana Em Cantos de Alagoas chegou a sua quarta edição e promete agitar o cenário musical no mês de novembro. Nos dias 8, 9, 10 e 18 de novembro temos um encontro marcado no Teatro Gustavo Leite, em Maceió, a partir das 19h30. Além de trazer ao público apresentações de talentos de nosso estado, o festival também tem o objetivo de incentivar os artistas locais em suas produções, dando visibilidade àqueles que fortalecem a cultura musical alagoana, levando o melhor dela num evento feito especialmente para a população alagoana. O Em Cantos de Alagoas é uma realização do Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), realizado em duas etapas. A primeira sendo classificatória-eliminatória (dias 8, 9 e 10 de novembro) destina
Flexibilizações impõem crescimento da Covid-19 nos EUA, Europa, China e Rússia

Flexibilizações impõem crescimento da Covid-19 nos EUA, Europa, China e Rússia

Mundo
Ponto fora da curva, o Brasil viu o mundo sendo atingido pela Covid-19, antes da pandemia chegar com força por aqui. E apesar de números relativamente maiores por aqui, o que víamos era o mesmo cenário: quando acabava por lá, retornava por aqui. E vice-versa. Isso pode estar acontecendo de novo. Enquanto o aumento da vacinação derruba o número de casos, hospitalizações e mortes no Brasil, alguns desses indicadores voltaram a crescer em diversos países na América, Europa e em nações como Rússia e China. Os motivos vão desde os baixos índices de vacinação em alguns países, que ao contrário do nosso não possuem cultura de vacinação, ao aumento da circulação de pessoas em regiões vacinadas, graças às flexibilizações de decreto. Na Europa, a semana terminada em 19 de outubro contab
Governo ameaça até as emendas impositivas de quem for contra a PEC

Governo ameaça até as emendas impositivas de quem for contra a PEC

Blog, Marcelo Firmino, Política
O jogo bruto do governo, nesta quarta-feira, 3,  para a aprovar a PEC do calote nos professores é muito forte. Tanto que agora o Planalto está ameaçando não liberar as emendas impositivas dos parlamentares que votarem contra a PEC. É exatamente essa informação que o presidente da Câmara, Arthur Lira, vai apresentar aos líderes da oposição, cujas bancadas estão contra a PEC dos Precatórios. As emendas parlamentares impositivas foram criadas por lei em 2015. A lei obriga o governo a liberar a execução de emendas parlamentares até o limite de 1,2% da receita corrente líquida. Sendo que metade do valor dessas emendas deve ser aplicada na área de saúde. No ato da aprovação da lei, o presidente da Câmara era o deputado Eduardo Cunha (DEM-RJ). O processo foi feito no auge das mobi
Por PEC dos Precatórios, governo ameaça cortar verbas e pede até ajuda do PT

Por PEC dos Precatórios, governo ameaça cortar verbas e pede até ajuda do PT

Política
Marcada para entrar em pauta hoje (3), a votação da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos precatórios, que autoriza o governo a gastar mais em ano eleitoral e viabiliza o programa social de Jair Bolsonaro, é mais um motivo de embate entre Câmara e Planalto. E a negociação pode vir recheada com o bom e velho "toma lá, da cá", ou a boa velha compra de votos, entre aliados do presidente. Isso porque deputados da base e de partidos independentes pedem a liberação de mais recursos para votarem a favor da proposta. Ao mesmo tempo que ameaçam cortar até mesmo as emendas impositivas, as que o governo tem obrigação de pagar, de quem não apoiar a PEC. A execução das emendas parlamentares neste ano está em ritmo mais lento que em 2020, R$ 2 bilhões abaixo do mesmo período do ano passa
Lira realiza almoço com deputados para negociar PEC dos precatórios

Lira realiza almoço com deputados para negociar PEC dos precatórios

Brasil
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) reúne nesta quarta-feira, 03, os líderes partidários em sua residência oficial, em Brasília, para negociar o apoio a PEC dos Precatórios proposta pelo governo. Lira já havia tentado a negociação na semana passada com os líderes da oposição, mas não houve acordo e foi obrigado a adiar a votação. Agora o presidente da Câmara volta a chamar todos em um almoço para apressar a votação da PEC, apesar de saber que a corrente de oposição é contrária a iniciativa por que além de furar o teto de gastos, o que constitui a pedalada fiscal, a proposta prejudica seriamente os professores estaduais e municipais do País. Calote - Para a oposição as novas regras para o pagamento de dívidas judiciais representam um calote nos Estados e M