22 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade

Dia: 2 de janeiro de 2022

Embarcação queimada é largada na Ponta Verde: uma ameaça aos banhistas desavisados

Embarcação queimada é largada na Ponta Verde: uma ameaça aos banhistas desavisados

Maceió
Quem anda pela praia de Ponta Verde se depara com um espetáculo dantesco à beira mar. Quase em frente a barraca Kanoa está uma carcaça queimada de um barco, cujos proprietários praticamente esqueceram na água. Além do aspecto feio e sujo, os restos do barco queimado dentro do mar tornaram-se um perigo para os banhistas. Crianças e desavisados estão tendo acesso ao que sobrou da embarcação em ruínas, todos expostos aos riscos de acidentes. Conivência total O pior de tudo é que há dias a embarcação queimada está no lugar, como se fosse ali um depósito de entulhos marítimos. Nem a Capitania dos Portos, nem os órgãos de fiscalização do meio ambiente  tomaram providências para a remoção imediata dos restos da embarcação da beira da praia.    
Depois de 3 anos nada foi apurado sobre os cheques de Queiroz para Michelle Bolsonaro

Depois de 3 anos nada foi apurado sobre os cheques de Queiroz para Michelle Bolsonaro

Brasil
Por Mariana Muniz - O Globo Três anos após a revelação dos cheques depositados pelo ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda não esclareceu os pagamentos que totalizaram R$ 89 mil, feitos entre 2011 e 2016. Desde então, o casal presidencial jamais tocou no assunto, revelado em reportagens do jornal “O Estado de São Paulo” e da revista “Crusoé”. Em dezembro de 2020, Bolsonaro fez a última declaração pública sobre o caso, e disse que os valores depositados eram para ele. — Vamos apurar? Vamos. Mas cada um com a sua devida estatura, e não massacrar o tempo todo, como massacram a minha esposa, quando falei desde o começo que aqueles cheques do Queiroz ao longo de dez anos f
Orçamento secreto administrado por Lira garantiu quase R$ 500 milhões para Alagoas

Orçamento secreto administrado por Lira garantiu quase R$ 500 milhões para Alagoas

Alagoas, Política
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o Estado de Alagoas pulou de R$ 285 milhões em 2020 para R$ 449 milhões em 2021, graças ao Orçamento Secreto, que o Centrão domina no governo de Jair Bolsonaro. Os recursos destinados aos municípios alagoanos cresceram após a eleição do deputado federal Arthur Lira (PP) para a Câmara dos Deputados. O mecanismo do orçamento secreto  é questionado pela falta de transparência: não há uma base de dados pública com a lista de deputados e senadores que indicaram o destino das emendas nesta modalidade. Isto é, os parlamentares aliados do governo têm a disposição mais de  R$ 16,8 bilhões e usam dinheiro sem a devida prestação de contas. Arapiraca, o reduto cobiçado Diz a Folha que Arapiraca é atualmente o destino mais cobiçado para os recursos do orç
No público e no privado, a aglomeração na orla de Maceió é uma coisa só

No público e no privado, a aglomeração na orla de Maceió é uma coisa só

Maceió
Em boa hora, a Prefeitura Municipal acabou com o programa Passeio Musical, organizado pela Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac). O passeio era conduzido por bandas de frevos, que virou atração nas calçadas da orla e estava provocando arrastões, como os registrados pelos internautas neste sábado, 1º de janeiro. Mas, se o município pôs fim a essa programação do setor público,  o mesmo não se pode dizer na área privada onde a barraca Kanoa promoveu a maior aglomeração da tarde deste sábado. A barraca, com suas atrações musicais, realizou uma festa que gíria do seu público "bombou", dentro e fora do estabelecimento pela quantidade de pessoas que se reuniu no entorno. As imagens correram à internet e ficou claro que não havia nenhum tipo de controle ou organização mínima para
Especialistas reagem indignados à falta de remédio para epilepsia no SUS

Especialistas reagem indignados à falta de remédio para epilepsia no SUS

Brasil, Saúde
O Sistema Único de Saúde (SUS) está quase sem estoques de um dos principais remédios para o controle da epilepsia — doença neurológica que provoca convulsões e ainda é cercada de preconceito —, o levetiracetam. Por conta da escassez, o Ministério da Saúde tem orientado que o medicamento seja distribuído com a dosagem reduzida em um terço — em vez de 750 mg, 250 mg, por que não há previsão para a compra do medicamento A proposta causou indignação em pacientes e especialistas. Por causa disso, a Associação Brasileira de Epilepsia (ABE) deu início a um movimento, nas redes sociais, repudiando a sugestão de redução da dosagem. A campanha #SOSEpilepsia alerta para os riscos da iniciativa do ministério. Para o neurologista e vice-presidente da ABE, Lecio Figueira, a dificuldade de fornecime