17 de julho de 2024Informação, independência e credibilidade

Dia: 16 de junho de 2024

Forças Armadas gastam R$ 25 milhões para pagar salários de “mortos vivos”

Forças Armadas gastam R$ 25 milhões para pagar salários de “mortos vivos”

Brasil
As Forças Armadas gastam cerca de R$ 25 milhões por ano com pagamento de pensões aos parentes dos chamados “mortos ficto”, como são chamados os militares que estão vivos, mas receberam penalidade máxima de expulsão da corporação. Por lei, nesta situação, familiares passam a ter direito de receber o salário de quem “morreu apenas no papel”. Ao todo 404 ex-militares estão nessa condição. A maior parte do Exército (238), seguido pela Força Aérea Brasileira (99) e a Marinha (67). Juntas, as três Forças pagam pensão a 560 pessoas, entre esposas, companheiras e filhas. As informações foram obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) pela Fiquem Sabendo, uma organização sem fins lucrativos especializada em transparência, e repassadas à CNN. A figura jurídica do “morto
Lula acusa insanidade do projeto que pune aborto e libera o estupro

Lula acusa insanidade do projeto que pune aborto e libera o estupro

Governo
Na Europa, onde participou como convidado, da Cúpula do G7, que reúne os países mais ricos do mundo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou o Projeto de Lei 1.904/24, que propõe tornar homicídio aborto realizado acima de 22 semanas de gestação, em qualquer situação, inclusive em caso de estupro. “Eu, Luiz Inácio, sou contra o aborto. Mas, como o aborto é uma realidade, precisamos tratar como uma questão de saúde pública. Eu acho que é insanidade alguém querer punir uma mulher em uma pena maior do que o criminoso que fez o estupro”, declarou em uma entrevista coletiva concedida a jornalistas em Puglia, na Itália. “Eu tenho certeza de que o que está previsto na lei já garante que a gente aja de forma civilizada para tratar com rigor o estuprador e para tratar com respeito
Presidente do partido Solidariedade se entrega na Polícia Federal

Presidente do partido Solidariedade se entrega na Polícia Federal

Expresso, Policia
Eurípedes Júnior, o presidente do Partido Solidariedade, se entregou à Polícia Federal neste sábado, 15, após ter sido acusado de desviar R$ 36 milhões do Fundo Eleitoral da legenda. O político estava foragido desde a última quarta-feira, 12. Na PF, ele permanecerá sob custódia até ser transferido para o sistema penitenciário. Em nota, a Federal informou que Eurípedes Júnior se entregou na presença de seus advogados. A defesa do presidente do Solidariedade, por sua vez, afirmou que ele irá comprovar sua inocência perante a Justiça. Nas redes sociais o Solidariedade publicou que Eurípedes pediu licença do cargo "por prazo indeterminado". Desta forma, assume a legenda o vice-presidente Paulinho da Força. Operação Eurípedes Júnior é alvo de desvio de fundo eleitoral e participação
Parlamentares não abrem mão de R$ 50 bi em 2025; reduzir nem pensar

Parlamentares não abrem mão de R$ 50 bi em 2025; reduzir nem pensar

Blog, Marcelo Firmino
Os parlamentares do Centrão voltam a emparedar o governo Lula, em nome da grana que abre sorrisos fartos entre eles durante o mandato. É tanto que já estão colocando na conta para a retirada no próximo ano, nada menos do que R$ 50 bilhões, que sairão dos cofres do governo, para o pagamento das emendas parlamentares. A proposta foi colocada Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO), que é o relator. Segundo ele, isso [patamar de R$ 50 bilhões] já é um trabalho que vem sendo feito há alguns anos. Isto é, desde que criaram o orçamento secreto, durante o governo Jair Bolsonaro.. Em entrevista na Globo News, neste sábado, 15, o relator destacou: -Para você desmantelar essa conquista do Congresso, não é fácil”. Durante a entrevista, ele reconhe