11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

A história não perdoa a prática da traição, diz Dilma para Michel Temer

O senhor Michel Temer não engana mais ninguém. Disse a ex-presidente que sofreu o golpe de Temer no Congresso

Dilma: Temer não engana mais ninguém

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) divulgou, na manhã desta sexta-feira (22), uma nota na qual rebate as afirmações feitas pelo seu ex-vice, o ex-presidente Michel Temer (MDB). Em entrevista ao UOL nessa quinta-feira (21), Temer afirmou que o impeachment de Dilma não foi um golpe e que a ex-presidente é uma pessoa “honestíssima”.

Em nota, Dilma afirmou que Temer “articulou uma das maiores traições políticas dos tempos recentes” e pediu para que ele pare de tentar sua “limpar sua inconteste condição de golpista”.

Segundo a ex-presidente, “as provas materiais da traição política estão expressas na PEC do Teto de Gastos, na chamada reforma trabalhista e na aprovação do PPI”.

“Lembro ainda que a “dificuldade de diálogo com o Congresso” não é razão legal e constitucional para impeachment em um regime presidencialista, como ele bem sabe”, destacou Dilma.

A ex-presidente afirma que a “dificuldade” era uma rejeição às práticas do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB-RJ). Segundo Dilma, Cunha já planejava implementar as emendas de relator, conhecidas como o chamado “orçamento secreto”, durante o seu governo.

“Finalmente, relembro que a História não perdoa a prática da traição. O senhor Michel Temer não engana mais ninguém. O que se conhece dele é mais que suficiente para evitá-lo, razão pela qual não pretendo mais debater com este senhor”, concluiu.