24 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Ações contra Michele Bolsonaro que foi à festa com 7 parentes em jato da FAB estão engavetadas

Depois da festa em São Paulo, Michele e a ministra Damaraes ainda deram carona a influenciador digital

O influenciador digital bolsonarista, a ministra Damares e Michele Bolsonaro, após a festa, jato da FAB

Quando presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (MDB), se viu em meio a um quiproquó nas redes sociais e na grande mídia por ter usado um jatinho da FAB para se deslocar de Brasília ao Recife, onde foi a uma consulta médica, em 2013.

A repercussão do caso levou o senador a devolver o equivalente a R$ 27 mil aos cofres da União pela utilização do jatinho.

Mas, hoje, no atual governo, essas viagens viraram rotina sem que ninguém cobre absolutamente nada dos protagonistas.

A primeira dama do País, Michele Bolsonaro, por exemplo, pegou um avião da FAB em Brasília e viajou a São Paulo, levando consigo 7 membros de sua família para um passeio. Nenhum dos parentes dela tinha qualquer vinculação com o governo federal.

Segundo o jornal O Globo levantou graças à Lei de Acesso a Informação (LAI), a primeira dama e a ministra Damares Alves, além dos parentes da primeira dama, aproveitaram à noite paulista em uma festa de aniversário de Augusto Fernandez, influenciador digital e maquiador de ambas.

O detalhe: Fernandez, no dia seguinte, pegou uma carona no jato de volta à Brasília.

O episódio ocorrido em outubro gerou duas representações contra os festeiros do Planalto. Uma no Ministério Público Federal e outra no Tribunal de Contas da União.

No entanto, as duas estão lá engavetadas com o carimbo da atualidade, traduzido na linguagem de que pau que batia em Chico, agora não bate em Francisco.

É o Brasil de hoje.  Só falta agora entrar também no rito dos 100 anos de sigilo.