11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Policia

Advogada é a terceira vítima de feminicídio em uma semana em Alagoas

OAB vai acompanhar as investigações e seguirá firme na defesa intransigente das vítimas de violência em razão de gênero

Mais uma advogada foi vítima de feminicídio em Alagoas, o terceiro somente nessa semana. Maria Aparecida Bezerra, de 54 anos, foi morta com golpes de faca pelo companheiro Alisson Bezerra, de 44 anos, nesta quinta (21), em um conjunto residencial no bairro do Antares, parte alta de Maceió.

A vítima já havia trabalhado como policial militar, mas tinha pedido baixa para se dedicar à advocacia. O homem, que estaria em profunda depressão, reagiu quando mulher tentava levá-lo a tratamento em uma clínica.

Ele então a matou após uma discussão com golpes de faca. O homem chegou a ligar para uma tia, que foi ao local e encontrou o sobrinho ao lado do corpo de Maria Aparecida. Logo depois, com duas facas peixeiras, provocou ferimentos em si mesmo no tórax e no pescoço, sendo foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

 “O Samu de Alagoas foi acionado na tarde desta quinta-feira (21), para atender uma vítima de homicídio e outra de tentativa de suicídio por arma branca no bairro Antares, em Maceió. Entre as vítimas, uma mulher não identificada foi atendida por uma equipe da Unidade de Suporte Avançado (USA) do Samu Alagoas, mas teve o óbito constatado ainda no local. A vítima da tentativa de suicídio, um homem de 44 anos identificado como Alisson Bezerra da Silva é marido da mulher encontrada em óbito no local, foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE)”. Nota do comando do 5º Batalhão da Polícia Militar.

De forma reservada, uma advogada próxima da família afirmou que, segundo a filha do casal, eles brigavam constantemente.

“O casal era bastante reservado. Eles eram evangélicos e ele não bebia. Alisson tinha um quadro de depressão e trabalhava como caminhoneiro. Já Maria nunca relatou aos familiares que sofria ameaças ou qualquer tipo de violência. Apenas a filha do casal, de 13 anos, relatou aos meus filhos que presenciava muitas brigas entre eles”.

Em nota oficial, a OAB Alagoas repudiou a situação, já que este foi o terceiro feminicídio de uma advogada em um espaço tão curto de tempo:

“A Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) recebe, com total indignação, a notícia da morte da advogada Maria Aparecida da Silva Bezerra, vítima de feminicídio, nesta quinta-feira (21), no bairro de Antares, em Maceió.

A entidade vem a público repudiar veementemente TODA forma de violência, especialmente quando motivada por questões de gênero. A OAB/AL seguirá firme em sua missão de garantir os direitos fundamentais a todos os cidadãos e cidadãs.

Vale ressaltar que este é o terceiro caso de feminicídio em apenas uma semana em Alagoas. O dado é alarmante, pois demonstra o grau de vulnerabilidade ao qual as mulheres estão expostas. É preciso dar um basta neste tipo de violência.

Por meio da Comissão Especial da Mulher e da Comissão da Mulher Advogada, a Ordem vai acompanhar as investigações e seguirá firme na defesa intransigente das vítimas de violência em razão de gênero”.

O primeiro crime aconteceu na noite da quinta-feira (14), com um casal sendo encontrado morto dentro do quarto da própria casa no bairro Pontal da Barra, em Maceió, com indícios de homicídio seguido de suicídio. As vítimas foram identificadas como Maria Elenilda Vieira da Silva, de 28 anos, e Cláudio Jackson Barbosa dos Santos, de 36 anos.

O segundo caso ocorreu na terça-feira (19). A mulher identificada como Daniela Fernanda Silva Belo, 29 anos, foi  assassinada a golpes de arma branca no bairro Boa Vista, e o suspeito do crime foi o próprio companheiro. Diego Fernandes Lira da Silva, 32 anos, mandou um áudio para a cunhada logo após matar Daniela e depois foi encontrado morto dentro de um carro, após colidir com um caminhão.