28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

ALE cobra da Casal melhorias no abastecimento em Alagoas

Órgão abastece 77 municípios alagoanos

A Assembleia Legislativa de Alagoas realizou, nesta sexta-feira (29), uma sessão especial para discutir a qualidade e o fornecimento de água nas cidades alagoanas.

De acordo com o autor da proposição, o deputado Cabo Bebeto (PSL), comerciantes, escolas, igrejas, postos de saúde e a população em geral, vêm sofrendo com essa situação, que segundo ele, mais parece um descaso e falta e responsabilidade da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) – órgão responsável pelo abastecimento de água no Estado.

“Os apelos da população foram determinantes para que o Legislativo tomasse a iniciativa de promover essa discussão e buscar as soluções pela falta de água no nosso Estado”. Cabo Bebeto (PSL), deputado.

Cabo Bebeto informou que vem recebendo diversas reclamações em relação a precariedade na falta de água em todo Estado, na sua qualidade, bem como em relação ao saneamento básico.

A sessão contou com as presenças de dezenas de pessoas que sofrem com a falta de água em suas casas ou estabelecimentos comerciais e o promotor Maurício Mannarino Lopes, representante do Ministério Público estadual na sessão, falou da importância do debate e das ações promovidas pelo MP em Alagoas para buscar sanar o problema.

Casal

O presidente da Casal, Clécio Falcão informou que o órgão abastece 77 municípios alagoanos, confirmou que o alagoano paga a quarta tarifa mais cara do Brasil e disse que quando assumiu a companhia em 2015, ela vinha dando prejuízos e hoje, após um reequilíbrio tarifário, a Casal vem dando superávit neste últimos três anos.

“Um dos nossos grandes problemas em relação a falta de água, principalmente este ano, é a falta de energia. Além disso, temos uma questão estrutural que influencia toda região do semi-árido que é a baixa vazão de água nas barragens do sistema do Rio São Francisco. Por outro lado, com o reajuste tarifário e o combate ao desvio de água feito durante este período, estamos garantindo superávit e fazendo novos investimentos em todo o Estado para sanar os problemas relativos ao abastecimento de água a população”. Clécio Falcão, presidente da Casal.

Segundo ele, a recuperação econômico-financeira da empresa permitiu que se fizessem investimentos bem maiores do que em anos anteriores. Um deles foi a construção de um novo sistema de abastecimento de água para Inhapi, com captação diretamente no Canal do Sertão, Estação de Tratamento de Água (ETA) individual e mais de 12 quilômetros de adutora, com recursos da ordem de R$ 6,9 milhões.

Também no Sertão, a Casal, em parceria com o Governo do Estado, investe R$ 9,4 milhões na recuperação das estações elevatórias de água do Sistema Coletivo, o que vai melhorar o abastecimento de várias cidades, principalmente de Água Branca, Mata Grande e Canapi.

Requerimento

Ao final das discussões, o deputado Cabo Bebeto anunciou que protocolou um requerimento solicitando que a CASAL apresente, dentro do prazo de trinta dias, um plano de ação contendo o planejamento financeiro e o cronograma de execução das obras em andamento.

Também foi solicitada a formação de uma comissão especial para acompanhar os trabalhos. Cabo Bebeto ainda requisitou a substituição das bombas elevatórias que estão apresentando problemas e a suspensão das taxas de água, proporcionais aos dias em que o serviço não for fornecido.

Participaram ainda da sessão

  • as deputadas Ângela Garrote (PP), Flávia Cavalcante (PRTB), Cibele Moura (PSDB), Flávia Cavalcante (PRTB) e os deputados Davi Maia (DEM), Dudu Ronalsa (PSDB) e Ricardo Nezinho (MDB);
  • representantes dos governos estadual e municipal;
  • servidores da Casal;
  • vereadores do interior;
  • representantes da Equatorial Energia que assumiu na última segunda-feira (18) a operação da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e a distribuição de energia no Estado;
  • além de líderes comunitários e da sociedade civil organizada.