20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Além do recorde de mortes, gestão Bolsonaro na pandemia gera picos de pedidos de impeachment

Durante um ano, pesquisadores coletaram 2,3 milhões de tweets que mencionaram “Bolsonaro” e “impeachment” e/ou hashtags pedindo sua saída

Segundo a organização Avaaz no Twitter, ao mesmo tempo em que Jair Bolsonaro fez declarações negacionistas sobre o enfrentamento da Covid-19, há um pico de pedidos de impeachment nas redes sociais.

Os momentos de maior reação foram quando ele chamou a doença de gripezinha em rede nacional, em março do ano passado, quando o ex-juiz Sergio Moro saiu do governo e quando aconteceu a crise da falta de oxigênio no Amazonas.

Os pesquisadores coletaram 2,3 milhões de tweets que mencionaram “Bolsonaro” e “impeachment”, e/ou hashtags pedindo sua saída entre fevereiro de 2020 e janeiro de 2021, Foi verificado, por exemplo, que a hashtag #forabolsonaro foi usada em mais de 1 milhão de mensagens.

Como mostrado no gráfico, a reação à saída do presidente aconteceu também na saída de Luiz Henrique Mandetta, no churrasco do presidente em 8 de maio de 2020 e quando Nelson Teich deixou o comando da Saúde, menos de um mês depois de ter assumido a pasta.

Influenciadores

A organização identificou que há um grupo de influenciadores movimentando o tema. São políticos como Guilherme Boulos (Psol), Ciro Gomes (PDT), o humorista Whindersson Nunes e a influenciadora digital Nill Moretto.

No entando, Laura Moraes, coordenadora das campanhas da Avaaz, conta que não é possível afirmar que todos os tuítes sejam favoráveis ao pedido de impeachment, já que algumas pessoas usam as hashtags para aproveitar o embalo, apoiando a mensagem ou apenas “mitando”. Ainda assim, a pesquisa verificou que a maioria foi.

“A gente perceber atores de direita, esquerda e centro com a mesma demanda. Isso, de certa forma, se relacionou com as carreatas e mostra que a sociedade cada vez mais está entendendo que vamos perder mais vidas com Bolsonaro”. Laura Moraes.