14 de julho de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Alimentos saudáveis: em Maceió, empresas participam de rodadas de negócios com compradores internacionais

Ação do Exporta Mais Brasil acontece nesta quinta e sexta-feira, na Casa da Indústria

Reprodução

Vinte e três empresas brasileiras que fabricam alimentos saudáveis, sendo 14 delas alagoanas, vão expor seus produtos e negociá-los, diretamente, com compradores internacionais durante as rodadas de negócios do programa Exporta Mais Brasil: Alimentos e Bebidas para Saúde e Bem-Estar. O evento acontece nesta quinta (11) e sexta-feira (12), na Casa da Indústria Napoleão Barbosa.

No primeiro dia, a agenda contou com uma visita técnica à Beeva (empresa alagoana de mel e própolis localizada em Marechal Deodoro) pela manhã. À tarde, as rodadas serão realizadas das 15h às 19h. No segundo dia, as rodadas de negócios ocorrem das 9h às 13h, no primeiro andar da sede da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea). À tarde, será feita uma visita técnica à Sococo.

A iniciativa é da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), com o apoio da Fiea, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN/AL), e do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Relações Federativas e Internacionais (Serfi). As empresas que trabalham com produtos como mel, própolis, sucos, coco, tapioca, farinha e granola, entre outros, vão expor e negociar com representantes comerciais da Polônia, China, Malásia, África do Sul, Índia e Canadá.

Participam da exposição as empresas Sococo, Copra, Amafil, Fernão Velho, Ouro Vermelho, Beeva, Cooperativa Pindorama, Lu Mais Leveza, Incoco Premium, Multifrutas, Apiário Zumbo dos Palmares, Barulhinho Bom, Marola Laticínios e O Cortiço Mel de Abelhas.

Números

O setor de alimentação saudável cresceu 98%, nos últimos anos, no país, enquanto dados do relatório Brasil Food Trends apontam que o mercado de alimentação saudável registra um crescimento médio anual de 12,3%. Uma pesquisa realizada pelo grupo Kerry revelou que 65% dos consumidores buscam algum tipo de “benefício” nos alimentos e bebidas que consomem, evidenciando uma mudança comportamental impulsionada especialmente pela Geração Z e os millennials. Esses números destacam a vitalidade do setor e sua relevância para a economia brasileira.