21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

AMA recomenda que festas juninas não sejam realizadas nos municípios

MPE também já havia orientado que gestores não promovam concursos de quadrilhas juninas, shows e demais eventos

O presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), prefeito Hugo Wanderley, recomendou novamente aos gestores que não realizem qualquer tipo de evento junino em suas cidades.

A Força-Tarefa de Prevenção e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL) também já havia feito a mesma recomendação, como medida de segurança para evitar a disseminação do novo coronavírus.

O prefeito reconhece que Junho é Junho é um mês tradicional para o Nordeste que, a partir da tradição, comemora a colheita do milho e a chegada das chuvas nas lavouras, além dos festejos em homenagem aos santos Pedro, Antônio e João.

Porém, pelo segundo ano consecutivo, a festa mais aguardada da região foi cancelada por causa da pandemia da Covid-19. Agora a prioridade é conter o avanço do vírus com a vacinação a todo vapor.

Por isso, a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) orienta que a população não solte fogos, não acenda fogueiras e evite a aglomeração. Nas redes sociais, a Entidade começou campanhas educativas que irão durar todo o mês junino.

A AMA também divulgou o pedido da Força-Tarefa de Prevenção e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), para que os municípios não promovam concursos de quadrilhas juninas, shows e demais eventos e que eles não concedam autorizações para a utilização do espaço público para a realização de shows particulares, com ou sem cobrança de ingressos.

Os prefeitos estão empenhados em aderir a campanha e buscar formas de conscientizar a população sobre aglomerações, como também o uso de fogos de artifício.

Segundo especialistas, a dificuldade respiratória provocada pela fumaça pode agravar quadros respiratórios com a possibilidade de afecções e comprometimentos pulmonares, que podem confundir com Covid-19 e as demais doenças com sintomas semelhantes. Outro fator é o cuidado com quem está se recuperando do vírus, que não pode ter contato com a fumaça.