4 de dezembro de 2023Informação, independência e credibilidade
Política

Após divulgar vídeo com informações mentirosas, deputado Gayer apaga o conteúdo das redes sociais

Deputado havia publicado que “Lula proíbe que doações para as famílias atingidas no RS sejam entregues até que ele possa chegar para tirar fotos”.

Deputado Gustavo Gayer apagou postagem com notícias falsas

Depois de veicular informações mentirosas, para lacrar como ativista de internet, o deputado federal bolsonarista, Gustavo Gayer (PL-GO),apagou um vídeo que havia compartilhado nas suas redes sociais.

O vídeo trazia informações falsas apresentadas pela médica veterinária Samara Baum,. Ela, enquanto influenciadora também bolsonarista, havia dito que as doações para a população atingida pelas enchentes no Rio Grande do Sul só seriam entregues na presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Advertido pela Polícia federal que a propagação de notícias falsas é crime, o deputado apagou a publicação. A Advocacia-Geral da União (AGU), no entanto, vai responsabilizá-lo pela disseminação das informações falsas.

Leia mais: PF mira Gayer, do PL, por mentira sobre “Lula proibir doações em RS pra tirar foto antes”

A rede da mentira

Ao replicar o video da colega bolsonarista o deputado reforçou a divulgação da rede da mentira da seguinte forma:
“Lula proíbe que doações para as famílias atingidas no RS sejam entregues até que ele possa chegar para tirar fotos. Isso é um absurdo!”, escreveu Gayer ao compartilhar o vídeo.

A publicação da de Samara Baum teve o seguinte texto:

“Recebemos a informação de que não vai ser liberado alimentos (sic) para serem feitos a doação porque eles têm que aguardar o presidente Lula chegar aqui em Lajeado para fazer foto e vídeo e publicação em cima das doações. É o quê que é a política, né?”, diz a médica veterinária no vídeo.

“As doações não estão sendo liberadas para serem distribuídas para a população, para os animais, e para as pessoas que estão precisando, porque tem que aguardar o presidente Lula chegar na região”, afirma.

O crime

De forma criminosa foi produzido um vídeo fake onde uma pessoa supostamente teria tentado entregar donativos no suposto centro de distribuição de Lajeado, teria sido impedida sob alegação de que estavam esperando a chegada do presidente Lula para que fossem feitas fotos e só depois esses donativos pudessem ser distribuídos.
“Isso é crime! Isso é uma conduta de pessoas sem escrúpulos que se aproveitam de uma tragédia para tentar construir uma narrativa criminosa, falsa, típica dessa conduta que o Brasil não suporta mais. Nós já tomamos previdência. Já acionei a Polícia Federal, a AGU, já identificamos a criminosa, outras pessoas que estão multiplicando e reproduzindo esse vídeo. Todos serão identificados”, disse o ministro Paulo Pimenta, da Comunicação Social.

Apagou

Gayer apagou a publicação após a fala do ministro e postou uma nova versão apresentada pela médica veterinária. No vídeo, Samara diz que o conteúdo “vazou” de um grupo pessoal e afirma que se equivocou ao trazer informações incorretas sobre o presidente Lula, mas mantém a narrativa de que não recebeu as doações.