22 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Após escapulida para os EUA, Weintraub agradece e diz que foi no KFC ao invés do Taco Bell

Ex-ministro da Educação saiu do Brasil mesmo com o embargo de passageiros aos Estados Unidos e sendo investigado em inquérito no STF

O deboche não tem fim: o ex-ministro da educação Abraham Weintraub agradeceu a ajuda para deixar o Brasil em uma mensagem nas redes sociais na manhã desta segunda. Ele chegou a Miami, nos Estados Unidos, no último sábado.

Depois de dizer que sairia do Brasil dentro de poucos dias e um senador pedir seu passaporte no STF, o ex-ministro da Educação, ele viajou já nesta sexta-feira (19). Deixou o país no mesmo dia em que o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) protocolou no Supremo um pedido de apreensão do passaporte para evitar que ele saísse do país.

O ex-ministro do governo Bolsonaro é alvo do inquérito das fake news, que tramita no Supremo, e também é investigado no tribunal por racismo, por ter publicado um comentário sobre a China.

Integrantes do Judiciário já diziam, nos bastidores, acreditar que Weintraub poderia ser preso, o que vinha preocupando o ministro. Ao anunciar a saída do MEC, ao lado de Bolsonaro, Weintraub disse que sairia do país para assumir uma posição no Banco Mundial. A indicação para a vaga, entretanto, ainda não foi efetivada.

Se ele for aprovado pelos demais acionistas, vai ganhar R$ 116 mil mensais, contra os R$ 30 mil que recebia no ministério. O aumento é superior a 400%. Este sim, um negócio da China.