25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

Assassinos de taxistas são condenandos a penas de até de 28 anos de prisão

Edísio Correia Santos, de 64 anos, foi por motivo banal, sendo baleado nas costas

Houve um homicídio planejado, a simulação de um assalto, uma execução cruel sem a menor defesa da vítima, à traição, com um tiro nas costas.

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), fez sustentação, nesta quarta-feira (19), contra os acusados de matar, em 2019, o taxista Edísio Correia Santos, de 64 anos, por motivo banal. Wellinton Henrique dos Santos, de 22 anos, autor intelectual e material, teve pena definitiva de 28 anos de prisão, em regime fechado.

A promotora de Justiça Adilza Freitas defendeu pena máxima por homicídio duplamente qualificado e roubo.

De acordo com as investigações, era Wellinton, à época com 20 anos, o principal interessado na morte do idoso, pois havia tido uma discussão de trânsito com a vítima e queria vingança. Os demais teriam sido convidados por ele para participar de um assalto forjado.

“O luto da família terminou no dia de hoje com a condenação dos responsáveis. É uma angústia muito grande para família aguardar esse momento. O agressor quando mata uma pessoa, mata também a família porque ela não será mais a mesma. O filho da vítima, em razão do assassinato do pai, passou a receber tratamento psiquiátrico e até hoje depende de medicamentos controlados. Quanto vale uma vida? Um senhor de 64 anos perdeu a sua por conta de uma briga de trânsito quando o assunto parecia já ter sido resolvido. O MP em plenário, quando pede a condenação de um réu , está atuando na defesa da vida. O crime foi todo premeditado, ocorreu de forma covarde e por motivo torpe”.

Sentença

Após o Conselho de Sentença, por maioria de votos, concordar com o Ministério Público e acatar as qualificadoras, assim ficaram definidas as penas:

Welliton Henrique dos Santos, 23 anos, autor intelectual e material, foi condenado a 28 anos de prisão mais uma multa de R$ 8 mil por homicídio duplamente qualificado e roubo;

Já Guilherme Vieira Ferreira, 21, que participou do roubo e foi pago para se desfazer do veículo da vítima, foi beneficiado pela confissão e recebeu pena que possibilitou ir para regime semiaberto tendo a prisão revogada. Mas deixou de ser réu primário e tem multa a pagar ;

Wanderson Felipe, de 26, foi condenado , por roubo, a 12 anos de prisão e multa de 10 mil;

Ralpho da Silva Gomes foi o único absolvido.

O caso

Edísio Correia Santos ia com o seu filho, identificado como Edson, levar o neto na escola quando uma motocicleta colidiu com o seu veículo táxi, chateado, a vítima teria descido para tomar satisfação com Welliton e houve uma discussão.

Aparentemente o problema havia sido resolvido com o assassino assumindo o reparo do veículo de Edísio, no valor de mil reais.

No entanto, Welliton decidiu matá-lo e, no dia 22 de janeiro de 2019, simulou um assalto, entrando inclusive de cabeça baixa no táxi para Edísio não reconhecê-lo. Depois, juntamente com os comparsas, levou o idoso para o local onde fora executado pelas costas.