25 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Bia Kicis, presidente da CCJ, e demais bolsonaristas vazam dados de “médicos pró-vacina”

A deputada federal admitiu ter cometido o crime ao divulgar documentos de especialistas que participaram de audiência na terça

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), presidente da CCJ do Congresso, está entre os bolsonaristas que vazaram de forma ilegal dados pessoais de três médicos que defendem a vacinação de crianças contra a Covid.

No vazamento, estão telefone e o e-mail dos especialistas, que foram espalhadas em grupos bolsonaristas a partir de documentos do Ministério da Saúde.

Os dados pessoais constam nas declarações de conflito de interesses dos especialistas, entregues ao Ministério da Saúde antes que eles participassem da audiência pública sobre o tema nesta terça (4).

Leia mais: Bia Kicis assume e abraça o neonazismo
Bia Kicis não quer que oposição chame Bolsonaro de genocida

Bia Kicis fez merda ao enaltecer PM surtado em possível ato de terrorismo

A própria Kicis, seguidora fiel do presidente Bolsonaro, admitiu que repassou as informações pessoais dos especialistas em grupos de WhatsApp.

“Compartilhei em um grupo de zap de médicos. Quando me avisaram no Ministério da Saúde que alguém havia postado, pedi imediatamente que quem o fez removesse. Mas o ministério me informou que os documentos iriam para o site. Por isso entendi que eram públicos”. Bia Kicis.

Bia Kicis é procuradora aposentada do Ministério Público do Distrito Federal e investigada no inquérito sobre produção de fake news e ameaças a autoridades que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Bia Kicis

A deputada Bia Kicis, do PSL do Distrito Federal é do pior tipo de pessoa. Um ser que já entrou nos anais da ironia mórbida ao dizer de forma imbecil “eu quero respirar” para não usar a porcaria de uma máscara, durante a desgraça de uma pandemia viral.

Seus desejos de que a população não fizessem distanciamento e nem mesmo usassem máscara foram, em parte, culpadas pelo pico de Covid-19 no Amazonas, no ano passado.

Curiosamente, logo depois ela criticou o governador do AM, Wilson Lima, pela falta de oxigênio, afirmando que se não fosse Bolsonaro e o ministro Pazuello muitas pessoas morrido. Essa dupla, na verdade, demorou a agir e até a Venezuela precisou doar oxigênio.

Merecedora dos piores adjetivos, desviadora de foco, uma mentirosa propagadora de desinformação, Bia precisa perder seu cargo em Brasília. Imediatamente. Uma milícia digital ainda acredita nas burradas hediondas que este ser ainda propaga, e que recebe bem mais que R$ 40 mil por mês para isso.

Leia mais: Auxiliares do caos em Manaus, Bia Kicis e Osmar Terra precisam ser cassados e presos

E em mais um desvio de foco, resolve surfar no #SilenceDay, para que nada seja compartilhado, curtido, ou comentado para lutar pela liberdade de expressão. Por que não cala a boca de vez? E por que seu tweet mais recente é criticando o lockdown? Por que series como esta criatura ainda tem voz?

Vale lembrar: em setembro do ano passado, a mesma Kicis criticou o processo seletivo do Magazine Luiza orientado para profissionais negros e publicou uma montagem dos ex-ministros Sergio Moro e Luiz Henrique Mandetta (DEM) com blackface.