25 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Bolsonaro amarela e diz que nota do presidente da Anvisa foi ‘muito agressiva’

“Me surpreendi com a carta dele. Carta agressiva. Não tinha motivo para aquilo. Ninguém acusou ninguém de corrupto. Mas ele não precisava agir daquela maneira”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro recua, após carta de Barra Torres, e diz que não fez acusações à Anvisa

Peitado pelo presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, o presidente Jair Bolsonaro (PL) recuou nas insinuações de corrupção feitas contra a agência reguladora e instado a se retratar pelo que falou antes, ele negou que tenha feito acusações e disse que a nota pública de Torres “foi muito agressiva”.

Foi mais um episódio da “amarelada” do presidente da República em seus depoimentos sem provas contra tudo e todos, diante de  seu negacionismo e briga extremada contra a ciência na luta para superar a Covid e suas variantes.

Ele se manifestou na Rádio Jovem Pam nesta segunda-feira, 10.

“Me surpreendi com a carta dele. Carta agressiva. Não tinha motivo para aquilo. Ninguém acusou ninguém de corrupto. Mas ele não precisava agir daquela maneira”, apontou.

Barra Torres havia pedido que Bolsonaro exercesse a grandeza de se retratar, após as insinuações de corrupção contra a Anvisa. “Se o Senhor não possui tais informações ou indícios, exerça a grandeza que o seu cargo demanda e, pelo Deus que o senhor tanto cita, se retrate”.

O que Bolsonaro queria era que a Anvisa seguisse a sua cartilha e estivesse sob o seu controle, como acontece hoje com órgãos que antes tinham autonomia, como a Polícia Federal.

Mas, ele próprio reconheceu que Barra Torres “ganhou luz própria”.

Já a luz de Bolsonaro amarelou, assim de repente, após a carta do comandante da Anvisa.