24 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bolsonaro diz aos presentes em cerimônia que é “proibido máscara”

Ignorante e inseguro de sua sexualidade, presidente já chegou até mesmo a dizer que “máscara é coisa de viado”.

O presidente Jair Bolsonaro participou hoje (13) da cerimônia de reconhecimento do forró como patrimônio cultural do Brasil. O evento também foi realizado em homenagem póstuma ao cantor Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, que faleceu em 1989 e completaria 109 anos.

E entre uma fala e outra, o negacionista da pandemia gritou para outras pessoas não identificadas na transmissão, em alto e bom som “aqui é proibido máscara”.

O uso de máscaras como prevenção de contágio da covid-19 é recomendado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pela OMS (Organização Mundial da Saúde), especialmente na presença de não vacinados (ao menos, como se declara, Bolsonaro).

Ignorante e inseguro de sua sexualidade, o presidente já chegou até mesmo a dizer que “máscara é coisa de viado“.

No evento, Bolsonaro não discursou, mas entregou o título de patrimônio cultural brasileiro ao forró, durante o evento que durou por mais de uma hora. Estiveram presentes ainda o ministro do Turismo, Gilson Machado, o secretário de Cultura, Mário Frias, entre outros.

Netos de Gonzaga

Em 2020, netos de Luiz Gonzaga, coautor da música Riacho do Navio, não gostaram do uso político da composição que Machado Neto, tocou no acordeon durante uma das lives de Bolsonaro. Amora Pêra, Daniel Gonzaga e Nanan Gonzaga, que são filhos do também cantor e compositor Gonzaguinha, divulgaram texto de protesto nas redes sociais.

“Diante da impotência e da impossibilidade de processo por propaganda indevida, por dupla apropriação, da canção de Luiz Gonzaga e Zé Dantas e do projeto do Rio São Francisco; nós, filhos de Luiz Gonzaga do Nascimento Jr, netos de Luiz Gonzaga, o Gonzagão, apresentamos uma NOTA DE NOJO diante deste governo mortal e suas lives. Governo que faz todos os gestos ao seu alcance para confundir e colocar em risco a população do Brasil, enquanto protege a si mesmo e aos seus”. Parentes de Gonza.

Na ocasião, os netos de Gonzagão informaram que, ainda que simbolicamente, não autorizaram o governo federal a usar as canções assinadas por nenhum de seus familiares.