20 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

William Bonner denuncia que usaram o CPF de seu filho para solicitação do auxílio de R$ 600

Apresentador disse que contratou advogados para cuidar do caso, e que registrou BO.s em delegacias

O apresentador do Jornal Nacional, William Bonner, resolveu ‘interromper o silêncio’ no Twitter para uma denúncia grave: o CPF de seu filho foi usado para solicitar auxílio de R$ 600 reais, oferecido nesta pandemia.

“Na terça, dia 19, fui informado de que o jornal Meia Hora tinha obtido documentos do suposto registro de meu filho no programa de auxílio emergencial do governo. Meu filho não pediu auxílio nenhum, não autorizou ninguém a fazer isso por ele. Mais uma fraude, obviamente”. William Bonner, apresentador do JN.

E foi além: ele afirma que estelionatários têm usado há 3 anos o nome e do CPF o seu filho, Vinícius Bonner, para fraudes, como a abertura de empresas ou a contratação de serviços de TV por assinatura, entre outras:

 

Revoltado, Bonner disse que contratou advogados para cuidar do caso, e que registrou BO.s em delegacias. Claro, isso deve servir de combustível para opositores do maior telejornal do Brasil.

Auxílio

Militares e até o filho de William Bonner, apresentador do Jornal Nacional, conseguiram o auxílio de R$ 600 reais, oferecido nesta pandemia. O que mostra uma grave falha no cruzamento dos dados.

A renda familiar de Vinícius Bonemer, é superior a 3 mil reais, assim como os militares que exercem função pública. Assim, não seria possível que essas pessoas tivessem o benefício concedido.

O filho do apresentador está na base de dados do ‘coronavoucher’ e teve auxílio aprovado mesmo não tendo baixa renda. Até quarta-feira, haviam sido pagos 62,3 milhões de reais para 51,6 milhões de CPFs, porém, não há como saber se o auxílio realmente chegou nas mãos de quem precisa.

No caso do filho de Bonner, o apresentador afirmou que o filho não sacou o dinheiro, mas não consegue verificar se outra pessoa movimentou a poupança digital da Caixa, criada para recebimento do recurso.

Bonner afirma que a família irá registrar uma queixa-crime contra a fraude de uso do CPF. Já os militares terão que devolver o dinheiro e, segundo o Ministério da Defesa, foi aberta uma investigação sobre o caso.

Apesar de não falar abertamente sobre as fraudes, o governo federal criou um site para que pessoas que receberam o auxílio indevidamente possam devolver os recursos aos cofres públicos.

O site entrou no ar na última segunda-feira. Só de haver uma plataforma para a devolução dos recursos, o governo já sinaliza que há diversas fraudes acontecendo dentro do programa.