26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

204 barragens de rejeitos de minério tem alto potencial de danos no país

Só a Vale, administradora da barragem de Brumadinho, tem 50 locais de contenção de rejeitos de minério com dano potencial classificado como alto

Com 24 mil barragens registradas, o Brasil possui 790 para contenção de rejeitos de mineração. Como as da mineradora Vale, que na última sexta-feira rompeu, destruindo a região e potencialmente matando centenas de pessoas em Brumadinho. E não foi a primeira vez.

Embora com menos mortes (19), o rompimento da barragem de Mariana, em 2015, derramou cinco vezes mais rejeitos e ambas foram erguidas com a mesma técnica, considerada obsoleta e de maior risco por especialistas.

E evitando novas catástrofes, apesar de inicialmente o Governo não ser muito fã do Ibama e querer acabar com a “indústria da multa”, fica o alerta de que das 790 barragens, 204 têm potencialidade de dano alto, seja ao meio ambiente ou para pessoas, caso haja algum acidente.

Os números, de 2017, estão no relatório de segurança de barragens, desenvolvido pela ANA (Agência Nacional de Águas) e divulgado no ano passado. De acordo com a ANA, o relatório é um compilado anual de informações recebidas dos órgãos fiscalizadores de cada tipo de barragem. Quem fiscaliza as de rejeitos de minérios, por exemplo, é a ANM (Agência Nacional de Mineração).

O Brasil tem, segundo a ANA, sete barragens consideradas de alto risco: quatro em Minas Gerais (todas com dano potencial também alto). Outras duas, de Santa Catarina e do Mato Grosso, também têm dano potencial alto. No Amapá há registro de uma barragem com alto risco, porém dano potencial considerado médio.

Números

Só a Vale, administradora da barragem de Brumadinho, tem 50 locais de contenção de rejeitos de minério com dano potencial classificado pela ANM como alto. Destes, 45 estão em Minas Gerais. Outros cinco, no Pará. Apesar do dano potencial alto, o risco entre elas está entre baixo e médio.

Das 204 barragens de contenção de rejeitos de minério do país, 134 (65%) estão em Minas Gerais, o estado que mais tem barragens de todos os tipos do país. As sete de Brumadinho, onde ocorreu a tragédia mais recente, tinham todas risco considerado baixo no relatório da ANA analisado pela reportagem, mas com dano potencial alto. “Risco baixo” que levou à prisão 5 responsáveis pelo relatório.

O Pará é o segundo estado do país com maior número de barragens de minério com alto dano potencial. Bahia, Goiás e Santa Catarina estão na sequência dos estados com mais barragens do tipo. Em cada um deles, há sete contenções de rejeitos de mineração com dano potencial classificado como alto.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, já adiantou que seria intensificada a fiscalização em 3.386 barragens no país que estão classificadas com dano potencial alto ou com risco alto, mas não estabeleceu prazos. “É um trabalho que precisa ser feito com muita cautela”, afirmou.