24 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Esportes

Brasil vence Paraguai e solta pálido manifesto sobre a Copa América

Não espaço para comemorar a vitória ou pensar muito sobre a polêmica desta semana: hoje já é dia de convocação

O Brasil venceu o Paraguai fora de casa por 2 a 0, na noite desta terça (8) pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Em seis partidas, o Brasil tem 100% de aproveitamento e 6 pontos de vantagem para a segundo colocada, a Argentina. Mas na entrevista coletiva, o técnico Tite não estava bem. Também, pudera: os últimos dias dele foram infernais.

“Eu quero é comemorar um pouquinho”, disse o técnico em meio a uma entrevista em que esteve desconfortável e impaciente, é demonstração do fardo que será a disputa da Copa América a partir do domingo, dia 13.

Depois das desistências de Colômbia e Argentina, o torneio teve a sede alterada para o Brasil no dia 31 de maio, menos de duas semanas antes do jogo de abertura.

Neste meio tempo, comissão e jogadores foram considerados comunistas pelos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que bancou o torneio em campos brasileiros ao se alinhar com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, que dias depois foi afastado após acusações de assédio moral e sexual.

Mas não há dentro da seleção espaço para comemorar a vitória contra o Paraguai (com gols de Neymar e Paquetá) ou pensar muito sobre a polêmica desta semana. Hoje já é dia de convocação para a Copa América – que já perdeu a MasterCard como uma das patronidoras.

Manifesto

Como prometido após a partida, os jogadores da seleção se manifestaram contra a organização da Copa América, mas também afirmaram que vão participar do torneio.

O que se prevê nos bastidores nos próximos dias é uma tentativa de afastar a dimensão política da Copa América, o que já não parece ser possível, porque o torneio tem sido usado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores como instrumento de afirmação de ideias e por opositores como meio de enfrentamento.

Mas querendo se esquivar da polícia, o time de Tite encara a Venezuela às 18h, no Mané Garrincha, em Brasília. Confira o manifesto na íntegra:

Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam eles humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada totalmente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia e estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira.