11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Maceió

Café da manhã do Sinteal na porta da Prefeitura marca mais um dia de greve da educação em Maceió

Cumprindo a agenda de lutas aprovada em assembleia do Sinteal desde o dia 11, trabalhadoras/es da educação do município de Maceió realizaram um protesto em frente à sede da Prefeitura de Maceió na manhã desta quarta-feira (20). Com aula pública, panelaço e apitaço, a categoria foi à porta de JHC exigir respeito à educação.

Debaixo de tendas lotadas, manifestantes fizeram barulho para chamar atenção do gestor, mas não tiveram resposta. “Na campanha buscava os educadores, fazia questão de estar presente e acessível. Prometeu mundos e fundos, disse que ia valorizar a educação e os servidores públicos. Hoje nós podemos vir até aqui que ele nem sequer desce para conversar”, criticou a presidenta do Sinteal, Consuelo Correia.

A pauta da greve é a valorização da categoria e condições estruturais para a escola pública. Isso inclui respeito à lei nacional do piso com implantação do reajuste de 33,24% para todo o corpo de servidores/as da educação, fim da precarização dos contratados (PSS e horistas), atualização das bolsas dos estagiários, contratação dos profissionais que a rede tem carência e estrutura física das escolas.

Com a greve forte, a atividade foi bastante representativa. Além das centenas de educadores e educadoras, teve mães e estudantes apoiando a luta.

O professor de História Sérgio, da Escola Padre Pinho, ministrou uma aula pública sobre cidadania, com direito a conceitos teóricos e ações pedagógicas esclarecedoras, que levaram energia a todos os presentes.

O Sindicato dos Assistentes Sociais e o Sindprev estiveram presentes e fizeram falas parabenizando a educação e informando que suas categorias também vão entrar em greve.

Também estiveram presentes a presidenta da CUT, Rilda Alves, a Vereadora Teca Nelma, e os vereadores, João Catunda, Dr. Valmir e Alex Anselmo. Todos reafirmando apoio à greve e aos trabalhadores/as da educação. Dirigentes do Sindicato dos Enfermeiros e do Sindicato dos Agentes de Saúde também foram apoiar.

Notificação Judicial

Durante a atividade, a presidenta Consuelo recebeu das mãos do oficial de justiça um documento notificando uma decisão judicial sobre ilegalidade da greve. A direção encaminhou para o departamento jurídico para avaliar o que será feito.

“Temos assembleia amanhã [21] de manhã no Sinteal, é lá que devemos conversar com a categoria sobre os rumos que devemos tomar. Também vamos conversar com os nossos advogados para compreender melhor a decisão, para em assembleia apresentar a situação e deliberar coletivamente. A greve começou por decisão da categoria, e vai continuar sendo assim”, finalizou Consuelo.