27 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Campo Grande, o maior curral eleitoral de Alagoas, elege mais um Higino

Casos de corrupção envolvendo a família não foram levados em consideração pelo eleitor

Téo Higino, de família tradicional, eleito prefeito, apesar dos escândalos eleitorais da família

A disputa eleitoral em Campo Grande, Alagoas, foi decidida entre a ética e o poder a qualquer preço. O eleito foi Téo Higino (Republicanos) por apenas 9 votos de diferença contra o segundo colocado

Higino com 3.270 votos (49,83%),  venceu o pleito por apenas 9 votos de diferença. Atrás dele, Cícero Pinheiro (MDB), que liderava durante a apuração, obteve 3.261 votos (49,70%).

Campo Grande se apresenta desta forma como um curral eleitoral típico da política alagoana.

Com 100% das urnas apuradas, a Justiça Eleitoral confirmou a vitória de Teogenes Higino Melo Lessa. Téo sai vencedor de uma disputa acirrada, marcada por prisões, reviravoltas e pela atuação das polícias e da Justiça eleitoral.

A eleição suplementar ocorre, inclusive, menos de um ano após o pleito tradicional e foi determinada pela justiça eleitoral após o plenário da Corte indeferir o registro de candidatura de Arnaldo Higino (PP), ex-prefeito do município, condenado por improbidade administrativa e corrupção

Higino foi condenado  a prisão pela justiça eleitoral e transferiu a candidatura para o parente.

Na eleição deste domingo, 12, o candidato Pinheiro chegou a comemorar a vitória mas foi surpreendido com o resultado final.

Campo Grande é assim o mais tradicional curral eleitoral do Estado de Alagoas. Apesar dos explícitos casos de corrupção ocorridos na cidade e registrados pela justiça, os Higino mantêm o controle político da cidade.