22 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Cara de pau: Bolsonaro diz que não foi à Bahia para não gastar o cartão corporativo

Presidente também desdenhou da ajuda oferecida pelo governo argentino para a Bahia

Bolsonaro em passeios pelo litoral catarinense, após ter feito o mesmo no litoral paulista

Em plena diversão pelos mares catarinenses, com os recursos da União, o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que não foi a Bahia por que aí teria que usar “o cartão corporativo”.

Na vã tentativa de justificar a ausência na Bahia, ele declarou que  haveria gasto do cartão corporativo caso ele fosse sobrevoar as regiões atingidas pelas enchentes.

O presidente também voltou a comentar o motivo de ter recusado a ajuda humanitária oferecida pela Argentina às vítimas das chuvas nas cidades baianas. “Que ajuda é essa? Dez homens”, desdenhou. Segundo Bolsonaro, o Brasil tem gente suficiente para auxiliar na emergência causada pelas chuvas.

Bolsonaro disse que aceitou a ajuda oferecida pelo Japão à Bahia, apesar de negar o apoio da Argentina, porque o governo japonês enviou materiais como barracas de acampamento, colchonetes, cobertores, lonas plásticas, galões plásticos e purificadores de água. “Se a Argentina tiver outra coisa para oferecer, eu agradeço ao Alberto Fernández”, disse.

Mais cedo, porém, Bolsonaro usou em sua conta no Twitter um tom menos agressivo em relação ao oferecimento do país vizinho. “O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada”, justificou-se.