13 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Policia

Caso de espancamento de menina de 5 anos se torna homicídio após morte no hospital

Garota de 5 anos estava internada no HGE há três dias, mas não resistiu às lesões

A juíza plantonista Juliana Batistela, que decretou a prisão do pai e da madrasta da menina de 5 anos espancada em São Miguel dos Campos, disse que o caso passa a ser investigado agora como homicídio.

O casal foi preso pelo crime de maus-tratos na modalidade abandono, mas com a morte da criança na terça-feira (19), o crime passa a ser investigado também como homicídio.

Leia mais: MPE/AL acompanha caso de menina espancada em S. Miguel e aguarda conclusão de inquérito

Allexia Sophia estava internada no Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu à gravidade das lesões. O pai e a madrasta alegaram que a menina havia caído no banheiro, mas a equipe médica de plantão constatou que a criança tinha vários hematomas pelo corpo e percebeu contradições nos relatos do pai e da madrasta.

Ela deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Miguel dos Campos no sábado (16) e em seguida, foi transferida para Maceió. A menina foi intubada e encaminhada em estado gravíssimo para o HGE.

Ainda no domingo (17), diante da gravidade, o membro ministerial plantonista, promotor de Justiça Adriano Jorge, requereu a prisão preventiva de ambos. O caso fica agora com o promotor de Justiça natural, Arlen Brito, da 3ª Promotoria de Justiça criminal de São Miguel dos Campos.