27 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Celso de Mello diz que carta de Bolsonaro lembra conferência de Hitler em 1938

Ex-ministro diz que subverter a ordem democrática é infame e desprezível ofensa á Constituição

Celso de Mello diz que é desprezível e infame ofensa subverter à Constituição

Segundo o jornalista Josias de Souza afirma, em sua coluna no UOL deste sábado,11, que o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello “comparou a “Declaração à Nação” redigida por Michel Temer e assinada por Bolsonaro na última quinta-feira ao acordo de Munique, firmado em conferência organizada por Adolf Hitler em setembro de 1938.

Para o ex-decano da Corte, “é arriscado dar crédito aos termos da carta assinada por Bolsonaro”. Ainda segundo ele, “se Bolsonaro revelar infidelidade ao que pactuou, terá dado plena razão à advertência segundo a qual a história, quando se repete pela segunda vez, ocorre como farsa”. Celso de Mello também não descarta a possibilidade de um golpe por parte “daqueles que nutrem visceral desapreço pelo regime das liberdades fundamentais e pelo texto da Constituição”.

Josias observa, ainda, que Celso de Mello avalia ser “imperativo” organizar um movimento ‘‘para resistir e frustrar qualquer subversão da ordem democrática.” “Algo que constituiria ‘infame e desprezível ofensa à supremacia da Constituição’”, ressalta.