11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Com clube de tiro virando bibliotecas o lobby não pagará as propinas no País

Bolsonaro disse que se “o nove dedos” vencer as eleições, clube de tiro vai virar bibliotecas.

O lobby das armas aqui e no mundo é poderoso e rende muito aos políticos

O poderoso lobby da indústria das armas está de vento em popa no Brasil, assim como o é, há décadas, nos Estados Unidos. É fortíssimo e sabe bem como mimar os seus defensores.

O Presidente Jair Bolsonaro mergulhou nesse mercado junto com os seus filhos e todos também sabem o quanto rende ser defensor dessa indústria.

Nos EUA a indústria armamentista atua abertamente no mercado com o apoio dos políticos conservadores. Lá eles são financiados pelas gordas propinas pagas a deputados e senadores.

Aqui, Bolsonaro comemora o fato do número de vendas de armas ter crescido em mais de 470%. Promete se reeleito elevar para mais de 1 milhão por cento.

Isso, obviamente, não é de graça. O comércio das armas rende para pai e filhos envolvidos no negócio. Eles sabem que pelas armas muitos morrem, enquanto outros ficam muito ricos.

Daí a razão desse pessoal fazer o culto as armas e a pregação contra os livros. A indústria do livro não faz lobby, nem rende propina.

Foi por isso que em sua live da última quinta-feira, Bolsonaro se manifestou com clareza meridiana:

Não se esqueçam que o outro cara, o de nove dedos, falou que vai acabar com a questão do armamento no Brasil, tá? Vai recolher as armas, clube de tiro vai virar… vai virar biblioteca”, afirmou.
Ficou claro que isso não é insanidade, é esperteza mesmo.