15 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Compartilhando entrevista distorcida, Bolsonaro insiste em fake news

Chefe do Executivo brasileiro compartilhou uma mentira e inflamou seus apoiadores, tal qual durante a campanha eleitoral

O site Terça Livre, de cunho mais conservador e simpatizante de Jair Bolsonaro, publicou neste domingo um texto que falsamente atribui à repórter do jornal O Estado de S. Paulo, Constança Rezende, a declaração “a intenção é arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”. Por isso, o foco nas movimentações suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador e filho do presidente.

E infelizmente, o próprio presidente Bolsonaro compartilhou o áudio mentiroso em sua conta no Twitter.


A postagem não foi obscena, como a do Carnaval, mas teve um cunho mais preocupante: o Chefe do Executivo brasileiro compartilhou uma mentira e inflamou seus apoiadores – tal qual durante a campanha eleitoral.

Distorção

A “denúncia” que motivou a postagem teria vindo de um jornalista francês, em uma conversa que, em nenhum momento, se fala em “intenção” de arruinar o governo ou o presidente. A conversa, em inglês, tem frases truncadas e com pausas. Apenas trechos selecionados foram divulgados.

Em determinado momento, a repórter avalia que “o caso pode comprometer” e “está arruinando Bolsonaro”, mas não relaciona seu trabalho a nenhuma intenção nesse sentido.

O Terça Livre também, falsamente, atribui à repórter a publicação da primeira reportagem sobre as investigações do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sobre a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão nas contas do ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Mas este fora de Fábio Serapião, também do jornal O Estado de S. Paulo.

A coisa piora por Costança Rezende não ter dado entrevista nem dialogado com o jornalista francês citado pelo Terça Livre. As frases da gravação foram retiradas de uma conversa que ela teve em 23 de janeiro com uma pessoa que se apresentou como Alex MacAllister, suposto estudante interessado em fazer um estudo comparativo entre Donald Trump e Jair Bolsonaro.

Com base nas falsas informações publicadas pelo Terça Livre, grupos governistas promoveram no Twitter uma série de postagens nas quais acusam o jornal O Estado de S. Paulo de “mentir” na cobertura do caso Flávio Bolsonaro. As informações reveladas pelo jornal se baseiam em fatos e documentos oficiais.

Queiroz é alvo de uma investigação criminal desde que o Coaf identificou uma movimentação atípica em sua conta bancária de R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.