17 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Considerado e os enamorados do grupo do Gabi pra desgosto do Purê Azedo

Uma mulher bonita na companhia de Purê Azedo gerou uma confusão no grupo do Gabi

Confusão: A musa da turma do Bar do Gabiru

De olho na tela do celular, Considerado amanhece em altas gargalhadas. Conectado ao grupo do zap do “Gabi”, ele acabou incomodando a avó Nildinha e a Cega Dedé de PJ que acordaram em meio inconveniência do jovem.

Contrariada por ter se levantado da cama com as risadas estridentes do rapaz, Nildinha fez seu protesto veemente contra o barulho. -Você não tem respeito por duas idosas que merecem o direito ao descanso e à paz, Considerado. – Reclamou ela.

-Desculpe vó é que eu não me contive com as postagens do grupo. – Disse-lhe.

Sendo assim, ela quis saber o que havia de tão especial nesse grupo que o neto estava às gargalhadas antes das 6 horas da manhã.

Ele explicou que o grupo é formado por uma bolha de maioria fanática por Bolsonaro e hoje havia quebrado o paradigma, enfim. – Mas como assim? – Quis saber ela.

Considerado relatou, já também diante da atenta Cega Dedé, que predominantemente as discussões no grupo envolvem  “o mito bozóide”, ante a reação de uma minoria de oposição, mas também barulhenta. “Mas hoje a confusão envolve mulher e aí eu não me contive no sorriso”, amenizou.

A ceguinha então foi pertinente na observação: -Quem tem um sorriso desses não sabe o que é labafero.

-Pelo menos eles passaram a tratar de uma coisa boa que é mulher, não é Dedé?

-É verdade Nildinha, resta saber como.

-É isso mesmo meu neto, conte logo essa história.

Em sua narrativa, Considerado disse que “Zé Fofoca, funcionário do poder legislativo estadual, aposentado sem nenhum dia de serviço apurado, publicou no grupo a foto de Purê Azedo, ao lado de uma mulher bonita, em uma lancha em alto mar. Os bozóides do grupo babaram e da oposição também”.

-Deve ser mesmo uma princesa essa mulher, não é menino? – Disse Dedé. -Ela está mais para rainha dona Dedé. – Reagiu ele. -É. Rainha eu sei que reina… -Devolveu a ceguinha com certa malícia.

Nildinha então cobrou logo o nome da mulher, de onde veio e por que estava sendo fiscalizada por Purê Azedo? Ele falou que a confusão começou por que o Tonelada Davan disse que essa era mulher dos sonhos dele…

Mas aí o Pastor pediu respeito e disse ao Ton que tinha visto primeiro. Até o lulista Pequeno Pônei se intrometeu: -Com ela vou até à faixa de gaza, em pleno bombardeio.

-Bando de homem veio, besta; só se salva aquele branquelão, doutor do dedão, seu Coleguinha. Lindo. -Disse a assanhada vovó do Considerado.

Foi aí que a ceguinha protestou em alto e bom som: -E foi por isso que você nos acordou, macho imbecil. -Calma dona Dedé. Foi por que o Purê entrou no grupo pagando geral pra todo mundo.

-Conte logo essa história. – Reagiu Nildinha

-O Purê pediu respeito por que mulher bonita era a irmã dele.

-Sim e daí?

-O Tonelada logo o chamou de cunhado e disse que a convidaria para jantar no Maria Antonieta, desde que o Purê pagasse a conta.

-Minha nossa, que cabra safado.

-O Purê engrossou, pediu respeito e disse que ela era uma mulher casada.

-Muito bem.

-Aí o Tonelada disse a ele que o marido não precisaria ir ao jantar.

-Meu Deus do céu.

Deu-se então a confusão: O Pastor disse que a levaria ao restaurante Fornetto; o Promoter falou logo no Antchako; e o Pônei, liso, falou no Bar do Lula.

-Esses seus amigos são uns vagabundos…

-O Purê disse que ia denunciá-los por assédio.

-Isso mesmo, eles merecem.

-Aí o Tonelada balançou:  “Mas eu nem a conheci ainda…”

-Mas assediou, tem que ser preso.

-Calma vó, não é assim também.

-É? E se fosse comigo ou sua mãe o que você ia dizer Considerado?

-Pague o jantar no Maria Antonieta ou no Fornetto, mas me leve também!