24 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Corrupção: MP investiga ministro Sales por enriquecimento ilícito

Sales é investigado por 54 transferências milionárias em sua conta: R$ 2,74 milhões

Ricardo Salles é ministro do Meio Ambiente do governo Jair Bolsonaro

Após quebrar o sigilo bancário do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) descobriu que Ricardo tem algumas transferências milionárias em suas contas. Agora, o MP tenta avançar com as investigações para descobrir eventuais fraudes de sonegação de imposto e lavagem de dinheiro.

Entre 2014 e 2017 Ricardo Salles repassou R$ 2,75 milhões de sua conta em seu escritório de advocacia para sua conta pessoal. Para completar tal montante o ministro utilizou 54 transferencias. Neste período, Salles era secretário particular do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e do Meio Ambiente de São Paulo.

O inquérito foi aberto em 2019 e para investigar enriquecimento ilícito entre 2012 e 2017, quando Salles teria acumulado mais de R$ 7 milhões. O período coincide a data em que Salles ocupava cargos públicos no governo paulista, deixando de atuar como advogado.

Quando foi candidato a Vereador de São Paulo, pelo PSDB, em 2012, ele declarou à Justiça Eleitoral valor em R$ 1,4 milhão, que era dividido entre aplicações financeiras, um automóvel, uma motocicleta e 10% de um apartamento.

Seis anos depois, em 2018, o candidato a Dep. Federal, pelo NOVO, declarou valor de R$ 8,8 milhões em dois apartamentos, cada um avaliado em R$ 3 milhões, um barco no valor de R$ 500 mil e R$ 2,3 milhões em aplicações, totalizando alta de 335% em cinco anos, com valor corrigido pela inflação, durante o período.

Em seu Twitter Salles se defendeu das acusações e disse que seus rendimentos são honorários declarados e decorrentes de sua atividade como advogado, fora do governo.