24 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Covid-19 se espalha no interior do Brasil e Delmiro Gouveia é o 6º nacional em ranking de vulnerabilidade

Curva de infecções e mortes no interior ganhou força, obrigando gestores nos estados a aumentar a oferta de leitos de UTI e os meios de locomoção de doentes

As estatísticas oficiais afirmam que mais de 1,6 milhão de brasileiros já contraíram o coronavírus, e que mais de 64 mil morreram em decorrência de covid-19.

E além dos números provavelmente não revelar o verdadeiro impacto da pandemia, pois há subnotifição de casos, nas próximas semanas esse número pode se elevar por causa do contágio em municípios do interior do Brasil. Muitos deles, sem leitos de UTI.

O aumento dos casos do novo coronavírus no interior do Brasil tem levado os infectados a chegar aos grandes centros urbanos com prognósticos bastante negativos de recuperação.

Nas últimas semanas, a curva de infecções e mortes no interior ganhou força, obrigando gestores nos estados a aumentar a oferta de leitos de UTI e os meios de locomoção de doentes.

Ao contrário de quando a epidemia se concentrava nas capitais, os doentes do interior tendem a receber tratamento inicial mais precário e demoram para entrar em atendimento intensivo, quando necessário —o que aumenta o número de óbitos.

Alagoas

Em Alagoas, o novo decreto no final da semana passada permitiu a retomada das atividades econômicas em Maceió. Apenas a capital adentrou na chamada fase Laranja: todo o interior alagoano segue na fase vermelha.

Mantendo uma média entre 16 e 22 mortes diárias nos últimos boletins, Alagoas tem nos municípios do interior o maior número de casos. Na Capital, houve uma certa estabilização e até mesmo queda no número de óbitos diários. No deste domingo, foram 5 confirmações. No restante do estado, mais 14.

O Governo do Estado vem trabalhando para ampliar a oferta de leitos no interior, mas o avanço de casos no interior preocupa.

E levando-se em conta o número de casos, acesso aos leitos e distância para locais com mais vagas hospitalares, o município de Delmiro Gouveia se destacou de forma negativa no Índice de Vulnerabilidade dos Municípios (IVM), elaborado pelo Grupo Votorantim.

O IVM é composto por dezoito indicadores distribuídos em cinco pilares temáticos que abrangem dados relacionados: População vulnerável; Economia local; Estrutura do sistema de saúde; Organização do sistema de saúde; e Capacidade fiscal administração pública. O ranking das 10 mais cidades que preocupam no Brasil é esse:

  1. Mojuí dos Campos (PA)
  2. Wanderley (BA)
  3. Ibirataia (BA)
  4. Sítio do Quinto (BA)
  5. Jussiape (BA)
  6. Delmiro Gouveia (AL)
  7. Ubaitaba (BA)
  8. São Francisco (MG)
  9. São Raimundo Nonato (PI)
  10. Faro (PA)

Hoje com 269 casos e 5 óbitos confirmados, Delmiro Gouveia é o municípios acima de 40 mil habitantes com menor taxa de incidência para covid-19 em Alagoas. Mas o avanço do contágio no interior preocupa a cidade mais ao oeste do Estado e há mais de 300 km da Capital.

Confira os municípios que registraram os piores IVM em Alagoas. Como referência, o de Arapiraca é 55,96 e Maceió 57,2. O menos vulnerável, segundo índice calculado pelo Grupo Votorantim, é Marechal Deodoro, com 49,23.