28 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

CPI da Covid começa hoje e senadores decidem manter Renan relator

Em jantar em Brasília, senadores decidiram acionar a Procuradoria do Senado e sustentar ação contra decisão de juiz

Senadores começam hoje os trabalhos da CPI da Covid-19

A CPI da Covid terá início nesta terça-feira, 27, em clima de guerra. Sob ataque e sem maioria no colegiado, o Planalto indicou que partirá para o confronto contra o G-7, grupo de sete senadores considerados independentes e de oposição, fazendo uma espécie de dossiê sobre os adversários.

Com a CPI mirando erros e omissões do governo no combate à pandemia, Bolsonaro decidiu reforçar as ameaças e também engrossou o tom contra governadores que determinaram medidas de isolamento social para conter a propagação da doença. “Está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência”, disse ele, ao participar nesta terça-feira, 26, da entrega de um trecho de duplicação da BR-101, em Feira de Santana (BA).

A decisão liminar que barrou a possibilidade de o senador Renan Calheiros (MDB-AL) assumir a relatoria dos trabalhos marcou uma vitória do Palácio do Planalto e foi tomada no âmbito de uma ação movida pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP), aliada do presidente Jair Bolsonaro. Renan disse que “não há precedente na história de medida tão esdrúxula” e já recorreu da decisão.

Por que tanto medo?”, perguntou Renan, em mensagem no Twitter. Ao Estadão/Broadcast, o senador apontou influência do presidente na ordem da Justiça. “Isso não tem sentido. O Senado tem poderes constitucionais para proceder com a investigação, não pode ter interferência judicial”, disse.

Decisão não se cumpre

Na noite desta segunda-feira, 26, senadores favoráveis a relatoria de Renan Calheiros na CPI, realizaram um jantar  em Brasília, e pediram apoio do presidente do Senado, para manter a indicação do senador alagoano como ralator, apesar da liminar de um juiz de primeira instância.

Na oportunidade, os participantes do jantar informaram ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) que acionariam a Procuradoria da Casa para emitir parecer rebatendo decisão judicial. Parecer servirá como base para Aziz, se eleito presidente, anunciar Renan como relator.