25 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Daniel Silveira é multado em R$ 405 mil e STF exige o uso da tornozeleira

Embora tenha recebido indulto para se livrar da condeção de 9 anos, o deputado não se livrou da multa, nem da tornezeleira

Ministro Moraes aplicou multa e exigiu o uso da tornezeleira

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes multou nesta ter­ça-feira (03) o deputado federal bolsonarista Daniel Silveira em R$ 405 mil por descumprimento do uso de tornozeleira eletrônica, entre outras violações, e manteve a decisão pela obrigatoriedade do uso do dispositivo de monitoramento pelo parlamentar.

Em 20 de abril, Silveira foi condenado pelo STF a 8 anos e 9 meses de prisão por ameaças às instituições democráticas. No entanto, ele não precisará cumprir a pena, devido àindulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro um dia depois.

No entanto, a multa bem como a obrigatoriedade do uso de tornozeleira eletrônica seguem válidas mesmo após o indulto de Bolsonaro. Segundo o despacho de Moraes, Silveira descumpriu as regras impostas pelo STF em 27 ocasiões distintas: duas ao conceder entrevistas, três ao participar de eventos públicos, e 22 vezes ao descumprir ordem de monitoramento eletrônico. No domingo, por exemplo, o deputado participou de um ato bolsonarista em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

“As condutas do réu, que insiste em desrespeitar as medidas cautelares impostas nestes autos e referendadas pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, revelam o seu completo desprezo pelo Poder Judiciário, comportamento verificado em diversas ocasiões durante o trâmite desta ação penal e que justificaram a fixação de multa diária para assegurar o devido cumprimento das decisões desta Corte”, diz Moraes no despacho.

À TV Globo, o advogado de Silveira afirmou que não se manifesdtaria sobre o fato, pois ainda não havia tido acesso à decisão.

Contas bloqueadas

Para garantir o pagamento da multa, Moraes determinou o bloqueio no sistema financeiro nacional de valores pertencentes a Silveira, bem como o bloqueio imediato de todas as contas bancárias do parlamentar e de 25% dos vencimentos pagos pela Câmara ao deputado até o cumprimento integral da multa.

Além disso, Moraes deu prazo de 24 horas para que Silveira compareça à Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal para realizar a troca da tornozeleira eletrônica, já que a defesa do parlamentar alega que o monitoramento eletrônico tinha sido interrompido devido a um “defeito” no equipamento.

Além da multa, Silveira segue proibido de fazer contato com os investigados nos inquéritos das fake news e das milícias digitais, de acessar redes sociais, de conceder entrevistas, de deixar o estado do Rio de Janeiro, exceto para exercer o mandato parlamentar em Brasília, e de participar de eventos públicos.