20 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Datafolha mantém liderança de Lula contra Bolsonaro no 2º turno por 56% a 31%

Segundo a pesquisa, atual presidente perderia para todos os candidatos em cenários de 2º turno, incluindo Ciro Gomes ou João Doria. 

O cenário para a eleição presidencial em 2022 segue na mesma, com Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantendo larga vantagem sobre Jair Bolsonaro na dianteira da disputa.

Não importa quais nomes sejam acrescentados na disputa, a situação da terceira via segue a mesma, apesar agravamento da crise política, que culminou nos atos de cunho golpista de Bolsonaro no 7 de Setembro e da baixa popularidade do presidente.

Isto segundo pesquisa feita pelo Datafolha nos dia 13 a 15 de setembro, na qual foram ouvidos 3.667 eleitores de forma presencial em 190 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Ou seja: tudo indica que Lula não deve subir mais do que o que tem e Bolsonaro vai manter ainda o apoio que te resta. O que foi mostrado pelo Datafolha, que fez quatro simulações de primeiro turno, duas delas comparáveis com levantamentos anteriores, e duas novas.

 

Nos cenários comparáveis, há estabilidade em relação à rodada anterior feita pelo Datafolha, em julho. Lula oscila de 46% para 44% e Bolsonaro, de 25% para 26%, numa hipótese em que o candidato tucano é João Doria (SP), que passa de 5% para 4%. Nesse cenário, Ciro Gomes (PDT) segue em terceiro (de 8% para 9%), tudo dentro da margem de erro.

Os quatro primeiros colocados do cenário fechado ficam onde estão, e um pelotão de nomes ventilados por partidos e políticos recentemente se forma empatado tecnicamente com Doria.

Petista também lidera na pesquisa espontânea.

Neste momento, o petista segue sem concorrência nas simulações de segundo turno. Bate Bolsonaro por 56% a 31%, ante 58% a 31% anotados em julho.

Cenários para o segundo turno:

Ou seja: segundo os números, Bolsonaro perderia para todos os candidatos em cenários de 2º turno, sejam eles Lula, Ciro Gomes ou João Doria.

Não é a toa que 59% afirmam que não votariam de forma alguma no presidente, o maior índice entre todos os nomes colocados na corrida eleitoral de 2022 até aqui.