29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Dia da consciência negra será marcado por protestos na serra da Barriga

O racismo é crescente no País e a violência tem causado mortes do povo negro

Zumbi dos Palmares: o herói negro

Neste 20 de novembro, dia da consciência negra, a Serra da Barriga, em União dos Palmares, receberá representações de várias parte do Estado e do País para reverenciar a memória de Zumbi, o líder negro, símbolo da luta contra a escravidão, bem como para protestos marcados contra o Jair Bolsonaro.

Subir à serra nesta data já faz parte da cultura alagoana, principalmente pelos grupos do movimento negro, que atuam na valorização e na defesa da cidadania, da diversidade cultural, da inclusão social e contra o racismo persistente no País.

Nesses princípios estão em evidência as lutas travadas pelo povo do Quilombo dos Palmares, desde o império. Lá, no município de União dos Palmares, o berço de Zumbi, cerca de 30 mil negros chegaram a viver livres na serra, lutando contra a tirania da escravidão.

O racismo é cada vez mais presente

Uma delegada de polícia negra vai em um shopping fazer compras em uma loja de roupas e é barrada na entrada por ser negra. Uma cantora é agredida fisicamente e verbalmente enquanto trabalha por ser negra. Um homem é espancado e morto por seguranças de supermercados por ser negro.

Esses são só alguns dos exemplos recentes de crimes raciais cometidos no Brasil. Sete em cada 10 pessoas negras declararam já ter sofrido preconceito em lojas, shoppings, restaurantes ou supermercados, segundo uma pesquisa do Instituto Locomotiva.

Já um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, encomendado pela revista Veja, mostrou que 61% dos brasileiros consideram o Brasil um país racista. Porém, apesar de ser crime, desde 1989, a impunidade para o racismo ainda é grande no país. São raras as condenações por este crime na nossa Justiça.