24 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Economia

Dia Mundial do Leite: laticínios geram cerca de 10 mil empregos em Alagoas

Além dos benefícios à saúde, alimento tem alto valor socioeconômico no Estado.

Empresário Arthur Vasconcelos é presidente do Sileal | Assessoria

Leite é vida e saúde. É o primeiro alimento humano. É um aliado da saúde dos ossos, por ser rico em cálcio. É bom para o coração, previne a depressão, auxilia no crescimento, além tantos outros benefícios nutricionais.

É um alimento tão importante que, neste dia 1º de junho, comemora-se o Dia Mundial do Leite. A data foi estabelecida em 2001, pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU, da sigla em inglês), com o objetivo de incentivar o consumo de leite em mais de 80 países que celebram esse dia.

Em Alagoas, a data ganha um significado especial, pois, além das vantagens nutricionais, o leite representa alto valor socioeconômico. No Estado, existem 32 laticínios formalizados, com registro de inspeção.

A estimativa do Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Alagoas (Sileal) é que estes empreendimentos gerem cerca de mil empregos diretos e mais de 10 mil indiretos. “É o segundo maior setor do agronegócio em Alagoas, com uma grande importância socioeconômica”, destaca o presidente do sindicato, empresário Arthur Vasconcelos.

Pode-se medir essa importância pelo alcance da produção. Hoje, se produz leite em 100 dos 102 municípios alagoanos. “O setor é, extremamente, competitivo. Produzimos grande variedade de produtos lácteos e as indústrias são espalhadas em vários municípios”, ressaltou Arthur.

Atualmente, os 32 laticínios registrados em Alagoas têm, juntos, capacidade de produção que ultrapassa mais de 800 mil litros de leite por dia. A indústria alagoana também fabrica outros produtos derivados do leite como queijos, iogurte, manteiga, coalhada, entre outros.