19 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Eduardo Bolsonaro diz que Djokovic “optou pela liberdade” e que é ‘líder mundial’ antivacina

Tenista sérvio foi deportado da Austrália por não ter se vacinado e está fora do primeiro Grand Slam do ano

O deputado federal Eduardo Bolsonaro defendeu Novak Djokovic por não ter se vacinado

Mesmo com o mundo avançando no segundo ano de pandemia da Covid-19, o tenista sérvio Novak Djokovic, atual melhor do mundo, foi deportado da Austrália e está fora da disputa do Australia Open, primeiro Grand Slam do ano.

Foram vários dias de discussões legais, que julgaram o mérito da autorização do tenista em território australiano, mesmo sem que tenha sido vacinado. Ele, claro, perdeu o visto e acabou sendo deportado neste domingo, na véspera da abertura do torneio.

Ao seu lado, apenas negacionistas, promotores de mentiras e demais irresponsáveis, que fazem campanha contra vacinação. Imbecilidade, não é mesmo? Entre seus defensores, está Eduardo Bolsonaro, deputado federal por São Paulo.

Assim como seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, o filho 03 é mais um que tenta entrar no mérito de “luta pela liberdade” ao falar do direito de escolha de não se vacinar. Novamente, uma imbecilidade em tempos de pandemia:

O novo herói do 03 é também um negador da pandemia. Desde o início ele duvidada da existência da mesma e sempre disse que “não queria ser forçado a se vacinar”.

É o caso do presidente do Brasil, que vive dizendo não ter se vacinado. Apesar de impor um sigilo de 100 anos em seu cartão de vacinação.