26 de outubro de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Efeito Bolsonaro: Coronavírus causa mais estragos nos municípios mais favoráveis ao presidente

Para cada 10 pontos percentuais a mais de votos para Bolsonaro, há um acréscimo de 11% no número de casos e de 12% no número de mortos

Um estudo da UFRJ realizado em parceria como IRD identificou algo, até então, bem óbvio na propagação da pandemia do coronavírus: o “efeito Bolsonaro”.

Cruzou os dados de expansão da doença com o resultado na votação em primeiro turno nas eleições presidenciais nos 5.570 municípios, o levantamento mostra uma correlação entre a preferência pelo presidente Jair Bolsonaro e a expansão da Covid-19.

Os números indicam que para cada 10 pontos percentuais a mais de votos para Bolsonaro, há um acréscimo de 11% no número de casos e de 12% no número de mortos.

Resumindo: a Covid-19 causa mais estragos nos municípios mais favoráveis ao presidente Bolsonaro.

“Podemos pensar que o discurso ambíguo do presidente induz seus partidários a adotarem com mais frequência comportamentos de risco (menos respeito às instruções de confinamento e uso da máscara) e a sofrer as consequências”. Trecho do estudo.

A influência de Bolsonaro sobre o comportamento de seus eleitores, apurada neste estudo em particular, vai ao encontro do resultado obtido por outras instituições.

É o caso de um trabalho feito por pesquisadores da UFABC (Universidade Federal do ABC), da Fundação Getúlio Vargas e da USP (Universidade de São Paulo), que concluiu que em praticamente todas as ocasiões em que o presidente minimizou a pandemia, a taxa de isolamento social no Brasil diminuiu e mais pessoas se contaminaram e morreram.

Pandemia

Alguma coisa muito errada realmente deve ter acontecido nestes últimos meses. Além de um elevado nível de sociopatia, talvez uma ou mais figuras de autoridade ou formadoras de opinião tenham ativamente, sabotado as medidas de contenção ao vírus.

Segundo números mais recentes em todo o Brasil, são 150.709 mortes pelo novo coronavírus, após um total de 5.102.603 diagnósticos confirmados.

Já é cientificamente comprovado que usar máscaras reduz drasticamente chances de desenvolver caso grave de covid-19. Mas, infelizmente, em uma era de desinformação, não só o uso da máscara durante uma pandemia é tabu, mas até mesmo a gravidade do vírus é questionada.

Negar usar máscara apenas para “proteger o outro” mostrou não só quem é egoísta e obtuso, mas literalmente criminoso.

Temos figuras de autoridade que não só rejeitam usar máscaras, influenciando seus seguidores, como vão além e tentam legislar contra a obrigatoriedade do equipamento. Não importa o espectro político.

Este artigo, com afirmações de uma médica infectologista americana, aqui com links de 15 artigos científicos, deveria ser o suficiente para o óbvio: usar máscara não é coisa de viado.

Além de ser um esforço para não se tornar vetor, ajudará a própria pessoa a ter sintomas mais leves. Com medidas mais simples que ozônio pelo reto ou um remédio que não funciona, poderíamos ter saído mais rápido disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.