26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Eles eram contra a corrupção, embora vivam mergulhados nela

Ou corruptos são outros, mas eles não são comunistas

O “analfabeto” preso no aeroporto com mais de R$ 500 mil na mala e a cara de pau envernizada

A corrupção é escancarada exatamente no meio dos que engrossavam manifestações e se diziam contra a corrupção.

Flávio Bolsonaro compra mansão no Lago Sul, em Brasília, por R$ 6 milhões e até o filho mais novo de Jair Bolsonaro aparece com outra mansão de R$ 3 milhões em transação mal explicada, mas constam na lista dos que são “contra a corrupção”.

Fabrício Queiroz desviou mais de R$ 6 milhões dos cofres da Assembleia para a conta corrente do ex-patrão Flávio, no esquema das rachadinhas, e ambos tentam parar o processo na justiça que os indiciou por corrupção e lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal apura o caso de corrupção de US$ 300 milhões dentro do Ministério da Saúde, revelados em depoimentos de investigados e testemunhas na CPI da Covid. Os contratos, inclusive, envolvem a Precisa Medicamentos, a mesma firma que ajudou o filhote 04 de Jair Bolsonaro a montar uma empresa de eventos.

Mas, a cara de pau dessa gente é uma arte.

E é tanto que nem o dinheiro entre as nádegas do senador bolsonarista, Chico Rodrigues -PSL de Roraima e vice líder do governo – é considerado como um caso de corrupção.

No entanto, o mais recente caso de corrupção nesse esquema do transporte do dinheiro vivo, entres os que se diziam anticorrupção, veio exatamente do prefeito gaúcho, de Cerro Grande (RS), Gilmar João Alba. Trata-se de uma pérola inusitada.

Alba, bolsonarista bufão, mais conhecido como “Gringo Louco”, estava transportando uma mala recheada com R$ 505 mil, quando foi preso aeroporto de São Paulo.

Ele tentava embarcar em Congonhas. A viagem seria de São Paulo a Porto Alegre. Flagrado, não explicou a origem do dinheiro e foi levado para prestar depoimento.

Na PF, o sujeito não esclareceu absolutamente nada sobre a dinheirama e ainda se recusou a assinar o depoimento prestado. Apresentou uma desculpa que transcende a desonestidade pelo verniz da cara sem vergonha.

Disse ele que era analfabeto. Mas, lhe foram apresentados vários documentos que o mesmo havia assinado antes, até na justiça eleitoral.

Com os casos de corrupção pipocando entre os que diziam ter horror a corruptos e ódio à corrupção, essa gente agora desvia a conversa e passa a tergiversar com a pífia argumentação:

-Pode até ser corrupto, mas não é comunista!

Enquanto isso, eles vão aumentando o patrimônio a partir de compras com dinheiro vivo. E isso remete a 1997, quando Jair Bolsonaro era casado com Ana Cristina Vale. Ele tinha um apartamento e depois comprou uma casa no primeiro ano do casamento.

O casal desfez o casamento em 2008, quando ele estava com 14 imóveis, entre casas e apartamentos. Do total, 5 foram comprados com dinheiro em espécie…

Mas, corruptos são os outros. Eles, apenas não são comunistas.