25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Em nota Hospital Universitário da Ufal desmente áudio sobre casos de coronavírus

Huppa reforça a importância de checar sempre a veracidade das informações e buscar as fontes oficiais

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), emitiu nota na noite do último domingo (22) para desmentir um áudio que circulava nas redes sociais, sobre um surto do novo coronavírus em suas dependências.

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas, ligado a Rede Hospitalar Ebserh, não tem, até o momento, nenhum caso nem suspeito nem comprovado de coronavírus. Nosso HU não recebeu nenhum paciente com suspeita nem com contaminação por coronavírus“. Nota do HU.

Alagoas, na verdade, continua com sete casos confirmados.

“Por conta da pandemia do coronavírus, o HU da Ufal suspendeu temporariamente as visitas a pacientes internados, mas manteve a garantia do acompanhante para quem está internado, nos casos previstos em lei, exceto quando em isolamento.

O Hospital também criou o Grupo de Trabalho (GT) para o “Enfrentamento do Coronavírus”, formado por profissionais de várias áreas e responsável por gerenciar as normativas adotadas na instituição, neste período de combate ao Covid-19.

De acordo com a chefe do setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, Celina Dias, o GT foi instituído com a finalidade de pensar em um plano estratégico para que os profissionais da instituição tenham conhecimento de como lidar com o covid-19, caso apareçam suspeitas ou infectados pela doença”. Assessoria do HU.

O Hospital da Universidade Federal de Alagoas, gerenciado pela rede Ebserh, está adotando medidas com o objetivo de assegurar o atendimento à população alagoana. Confira quais:

Leitos construídos na UTI;

  1. Ampliação de 8 leitos com respiradores;
  2. Treinamento das equipes médicas para a unidade de Covid-19;
  3. Critérios de plantão na Unidade de coronavírus;
  4. Afastamento dos colaboradores enquadrados nos grupos de risco das áreas com potencial infectante;
  5. Reforço no estoque de equipamento de proteção individual, com autorização de compra imediata. Caso necessário, o setor de suprimentos já está autorizado a ir buscar mesmo em outros estados da Federação;
  6. Reforço na aquisição e estoque de gases medicinais, medicamentos, correlatos e itens necessários para exames complementares;
  7. Adequação e preparo para ampliação de áreas de isolamento com gases medicinais para eventual necessidade para instalação de respiradores;
  8. Reuniões de convocação das equipes;
  9. Suporte da UTI para os profissionais”.