23 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Emaranhados: Prefeitura discute ordenamento de fios em postes de Maceió

Notícia boa, eu vi nesta sexta-feira (13), num texto jornalístico produzido pela assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs): ‘Prefeitura estuda a organização de cabos em postes de Maceió’.

Há poucos dias, tratamos desse assunto com matéria publicada aqui neste espaço, mostrando a poluição visual e os sérios riscos que representa o emaranhado de fios amarrados – ou soltos – no alto dos postes da nossa cidade.

Leia: Risco e poluição visual: Fios que correm emaranhados sob o céu de Maceió

Riscos, não só para pedestres que,  por onde andam, se deparam com situações de perigo, com fios pendurados nas calçadas, mas também para motoristas, que frequentemente se deparam com cabos arqueados de um lado a outro da rua, atrapalhando o trânsito. E o que dizer dos riscos que também correm trabalhadores das empresas de distribuição de energia e de serviços de telecomunicações, que trabalham no meio desses emaranhados, no alto dos postes, onde se encontram inclusive fios descascados.

Agora nos vem a informação de que a prefeitura começou a se mobilizar em busca de soluções para esse problema.

Foto: João Victor Barroso -Ascom Semscs

E o primeiro passo foi uma reunião com representantes desses setores, realizada nesta quinta-feira, onde foram iniciadas as tratativas para a elaboração de um plano de ação para reordenar esses espaços, inclusive com a retirada de parte desses cabos, que foram deixados ali, amarrados sem mais nenhuma utilidade.

Além de gestores e técnicos da Semscs, lá estavam também representantes da Procuradoria Geral do Município (PGM), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet) e Superintendência Municipal de Energia e Iluminação Pública (Sima). Um grupo bem representativo, para começar.

O passo seguinte – informa o texto publicado no site da Prefeitura – será realizar um mapeamento das regiões mais críticas para fazer uma escala de priorização. Vai dar trabalho, porque basta uma olhada para o alto e se tem uma visão assustadora da situação desses cabeamentos, seja no centro da cidade, na parte alta, parte baixa, orla marítima ou na margem da lagoa. Em qualquer lugar, difícil mesmo é não encontrar fios enrolados ou pendurados, tocando o chão, causando medo, trazendo riscos e até prejuízos. Basta lembrar que, recentemente um curto-circuito no Centro, deixou lojas sem internet por quase uma semana, entre a região do Mercado e a Cincinato Pinto.

Bom saber que o secretário Thiago Prado levou para a reunião a visão crítica dessa situação e da necessidade de uma busca de solução. Torço que seja essa a opinião de todos os envolvidos. Agora é perceber a urgência que a situação exige e partir para a ação.

Sem demora!