17 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Ernesto compara isolamento social com campos de concentração e irrita lideranças judáicas

Comitê Judeu Americano exigiu um pedido de desculpas do ministro das Relações Exteriores

Seguidor de Olavo de Carvalho, negador do aquecimento climático, defensor da ideia que o nazismo é de esquerda, conspirador contra o vírus e comunismo e agora alvo por antissemitismo. E é ministro no governo Bolsonaro.

O Comitê Judeu Americano exigiu um pedido de desculpas do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, depois que o brasileiro comparou o isolamento social para conter o coronavírus aos campos de concentração nazistas que mataram milhões de judeus.

A analogia foi feita no dia 22, quando o chanceler brasileiro publicou um texto em seu blog pessoal criticando um livro do filósofo esloveno Slavoj Zizek:

“Os comunistas não repetirão o erro dos nazistas e desta vez farão o uso correto. Como? Talvez convencendo as pessoas de que é pelo seu próprio bem que elas estarão presas nesse campo de concentração, desprovidas de dignidade e liberdade”. Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.