25 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Ex-juiz, Sérgio Moro, toma vacina Pfizer nos Estados Unidos

Moro que foi considerado um juiz parcial nos processos contra o ex-presidente Lula, também foi rebaixado na Alvarez & Marsal

Sérgio Moro toma primeira dose da Pfizer nos EUA

O ex-juiz Sergio Moro, declarado suspeito e parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nas ações que envolvem o ex-presidente Lula, aproveitou que está nos Estados Unidos e recebeu a primeira dose da vacina da Pfizer contra o coronavírus.

Segundo a revista Veja, “entre uma e outra agenda de trabalho nos Estados Unidos, Sergio Moro aproveitou o avanço da vacinação no país para também tomar a primeira dose do imunizante da Pfizer”.

O ex-juiz, recentemente, sofreu uma espécie de “rebaixamento” em sua função no escritório Alvarez & Marsal, onde foi anunciado como sócio-diretor em novembro de 2020. Em manifestação enviada ao Tribunal de Contas da União (TCU) no dia 7 de abril, o escritório afirmou que Moro é apenas um “consultor”.

A Alvarez & Marsal afirmou que Moro não é diretor da empresa, apesar de seu nome aparecer no site do escritório com função diretiva.

A remuneração do Sr. Sérgio Moro decorre tão somente dos honorários pagos pela empresa cliente nos específicos casos em que está autorizado a atuar e com base na efetiva prestação de serviços como consultor”, diz ofício enviado ao TCU.

Conflito de interesses

O órgão investiga suposto conflito de interesses na atuação do ex-magistrado, tendo em vista que a Alvarez & Marsal atuou na recuperação judicial do Grupo Odebrecht. A ação foi aberta após a defesa do ex-presidente Lula abrir uma reclamação com base nas mensagens obtidas pela Operação Spoofing.

De acordo com o Ministério Público do TCU, a atuação de Moro poderia se caracterizar um “suposto conflito de interesse do agente que, em um primeiro momento, atuou em processo judicial com repercussões na esfera econômica e financeira da empresa e que, posteriormente, aufere renda, ainda que indiretamente, no processo de recuperação judicial para o qual seus atos podem ter contribuído”.