26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Mundo

Explosões em aeroporto de Cabul deixam mortos durante retirada dos EUA

Segundo o Talibã, pelo mesmo 13 pessoas morreram em ação do Estado Islâmico

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, informou mais cedo que uma explosão ocorreu nesta quinta-feira (26) no aeroporto de Cabul. A mesma fonte confirmou a existência de “um número desconhecido de vítimas”. Os talibãs adiantam que pelo menos 13 pessoas morreram.

De acordo com a agência Reuters, duas explosões atingiram os arredores do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, onde afegãos e ocidentais se concentram para tentar uma vaga na evacuação liderada pelos EUA do país sob o Talibã.

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, foi informado sobre a explosão, de acordo com uma autoridade da Casa Branca. Biden estava em uma reunião com autoridades de segurança sobre a situação no Afeganistão, onde os EUA estão em fase final de encerrar uma guerra de 20 anos.

Entre os mortos estão crianças, no aparente ataque suicida, mas autoridades americanas afirmam que o número pode ser ainda maior. Civis afegãos, soldados talibãs e três militares americanos estão entre os atingidos.

O governo dos Estados Unidos tem se apressado para retirar cidadãos norte-americanos e afegãos de Cabul antes do prazo final para a conclusão dos trabalhos, 31 de agosto.

A explosão ocorreu após ter sido emitido um alerta de ameaça de atentado no aeroporto, onde se vive um ambiente caótico, com milhares de afegãos tentando fugir do país e embarcar em voos de repatriamento. A ameaça vem pressionar a saída de estrangeiros e afegãos quando restam apenas cinco dias até a retirada oficial das tropas ocidentais.

Após a emissão do alerta, os governos dos Estados Unidos, do Reino Unido e da Austrália pediram aos seus cidadãos para deixar a área, aconselhando uma tentativa de fuga pela fronteira. Países como a França e a Hungria estão apressando as operações de retirada e já anunciaram que não podem retirar mais pessoas a partir da noite desta sexta-feira.

Enquanto isso, seguem os relatos de violência de talibãs contra pessoas que tentam ir ao aeroporto, fora as buscas casa a casa de antigos colaboradores ocidentais. Não existe algum número, mas centenas de intérpretes e auxiliares tenham ficado para trás. Só os EUA contavam 18 mil pessoas que haviam trabalhado ao longo dos anos na embaixada de Cabul.

Com a corrida final para fugir da capital, os EUA começaram a retirar inclusive os seus 6.000 militares enviados para a operação no aeroporto. Com isso, aliados como a França, a Holanda e o Canadá disseram que sua evacuação acaba até esta sexta (27).