22 de outubro de 2020Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Familiares são impedidos de entregar alimentos no sistema prisional e protestam

Seris marcou para esta segunda o retorno das visitas, mas agentes disseram não ser possível atuar com segurança

Programada para esta segunda (17), o retorno da entrega de alimentos, por parte dos familiares, aos reeducandos do Complexo Prisional de Alagoas, não saiu como o planejado e acabou em protesto, na parte alta de Maceió.

Dezenas de famílias foram impedidas de realizar as entregas, apesar do mesmo ter sido definido no cronograma de retomada do setor. Apesar do anúncio da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), os policiais penais que atuam no sistema impediram a ação em protesto.

Segundo o Sindicato dos Policiais Penais do Estado de Alagoas (Sindapen-AL), o recebimento ou mesmo as visitas não acontecerão porque o Estado teria anunciado de “forma precipitada” o calendário para a retomada.

A proibição acabou revoltando os parentes, que bloquearam a rodovia BR-104 em frente ao complexo prisional na Cidade Universitária, em Maceió. A Polícia Militar foi ao local para negociar para a liberação da via. O serviço está suspenso desde junho.

Segurança

Segundo o Sindapen, a medida compromete a segurança do Sistema Prisional e coloca em risco a vida dos funcionários, dos presos e dos familiares, por causa da pandemia.

Além disso, os policiais dizem depender de aumento de efetivo por meio de concurso público, e condições melhores de trabalho para receber os familiares.

O sindicato dos policiais penais do Estado de Alagoas, SINDAPEN, vem informar a sociedade alagoana que não haverá recebimento de feiras e visita no sistema prisional a partir desta semana.

Tendo em vista que representantes do Governo anunciaram de forma precipitada um calendário para o retorno das entregas de matérias, feiras e da visitação de familiares. Porém, a execução desses procedimentos continua comprometendo a segurança do sistema prisional, colocando em risco a vida dos funcionários, presos e seus familiares.

Ressaltamos que a solução dessa problemática foi apresentada por este sindicato e aceita por representantes do governo, que se comprometeram a atender as pautas para que o sistema prisional não entrasse em colapso, mas esse acordo foi mais uma vez descumprido pelo Estado.

Ressaltamos também, que a pandemia ainda é uma ameaça exponencial no sistema e que o número de presos que estão sendo infectados só aumenta, e somente no Baldomero foi confirmado 13 casos de uma testagem de 20 presos, na última semana.

Por fim, os representantes dessa entidade sindical afirmam que a solução para essa problemática depende do cumprimento da pauta acordada entre a categoria e o governo, como aumento de efetivo por concurso público, e condições dignas de trabalho. Firmamos também que o bom senso prevaleça e que o governo siga pelo caminho correto e evite mais uma vez problemas no sistema prisional”. Diretoria Sindapen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.