21 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Filho de Humberto Martins, presidente do STJ, está entre denunciados na Lava Jato

Eduardo Martins é acusado de receber cerca de R$ 77 milhões da Fecomércio/RJ para influenciar em decisões de ministros da corte

Segundo a coluna “O Antagonista”, o advogado Eduardo Martins, filho de Humberto Martins, novo presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), está entre os 25 denunciados pelo MPF do Rio na Operação E$quema S.

Ele é acusado de receber cerca de R$ 77 milhões da Fecomércio do Rio de Janeiro para influenciar em decisões de ministros da corte.

A missão de Eduardo, segundo o MPF, seria a de obter junto ao STJ decisões que pudessem manter Orlando Diniz à frente da Fecomércio fluminense. Diniz foi preso pela Lava Jato e firmou acordo de delação premiado com a Procuradoria.

A Operação investiga desvios de pelo menos R$ 150 milhões do Sistema S do RJ por escritórios de advocacia no Rio e em São Paulo, para propinas a agentes públicos. A operação é baseada em uma delação premiada de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio-RJ.

alagoano Humberto Martins tomou posse do comando do STJ no final do mês passado. Entrando no lugar de João Otávio de Noronha, Martins é visto como alguém que, como Noronha, não fará obstáculos ao presidente, com perfil conciliador e político agrada integrantes do governo e aliados bolsonaristas.

E segundo interlocutores ouvidos pela Folha, a chegada de Humberto Martins na presidência da corte podem favorecer os interesses da defesa do senador Flávio Bolsonaro.

Operação E$quema S

Os advogados Frederick Wassef (que representou a família Bolsonaro), Cristiano Zanin (Lula) e Ana Tereza Basílio (Wilson Witzel) são os alvos. Cristiano Zanin e Roberto Teixeira, acusados de liderar o esquema. Os dois já se tornaram réus pelo caso. Bolsonaro, Lula e Witzel não são investigados nesta operação.

Também foram algos Flávio Zveiter, filho do ex-presidente do TJRJ Luiz Zveiter, Ana Tereza Basilio, mulher do desembargador André Fontes, ex-presidente do TRF-2, e Tiago Cedraz, filho do ministro Aroldo Cedraz, o ex-presidente do STJ César Asfor Rocha e o filho Caio.