26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Foragido, Zé Trovão exige vídeo com “hora e data” de Bolsonaro pedindo para liberar as estradas

Líder da paralisação dos caminhoneiros evidencia racha do grupo e de apoiadores do presidente

O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira, conhecido como “Zé Trovão”, gravou vídeo na madrugada desta quinta-feira (9) se mostrado decepcionado pelo presidente Jair Bolsonaro ter pedido que caminhoneiros liberem as rodovias brasileiras.

Zé Trovão, vale lembrar, é investigado em inquérito da Procuradoria-Geral da República (PGR) que apura ameaças à democracia e está foragido da Justiça.

Leia mais: PF prende blogueiro bolsonarista, mas ativista Zé Trovão segue foragido

 “A minha vida está destruída por que eu estou hoje sendo perseguido politicamente com mandado de prisão e passando por tudo com risco de nunca mais ver minha família, porque eu não vou pra cadeia, porque eu não sou bandido”. Zé Trovão.

Ele diz não acreditar no recado de Bolsonaro, na noite de ontem, e exige que o  presidente faça um vídeo, com data e hora, confirmando a ordem.

“Nós queremos que o senhor fale para o povo brasileiro isso, que o senhor faça um vídeo, fale a data, fale o dia, e que o senhor peça para nós, caminhoneiros, abrir [sic]. Porque daí, sim, nós vamos fazer vídeo pedindo para liberar as pistas. Sem isso, presidente, eu não vou fazer, porque não dá mais para confiar em áudio e vídeo sem data, sem nada, porque pode ser coisa antiga”. Zé Trovão.

Uma captura de tela, inclusive, mostra o racha e descontentamento da categoria com o presidente.

Bolsonaro

O áudio de Bolsonaro, no entanto, é verdadeiro O presidente foi obrigado a gravar áudio na noite desta quarta (8), pedindo a liberação das estradas, por que o movimento iria causar desabastecimento nas cidades e aceleração dos preçosç

“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”. Jair Bolsonaro, presidente.