25 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Fraude em concurso público em Alagoas não é um fato novo

Há muita gente nas instituições que usou desse expediente para ocupar cargos públicos, apesar das denúncias

Provas do concurso foram suspensas pela justiça alagoana

Fraudes em concursos públicos em Alagoas não é nenhuma novidade. Há muita gente por aí exercendo cargos públicos e arrotando moralidade que usaram desse expediente escuso.

Gente que hoje bate no peito como se fosse o mais idôneo entre os seres da terra. Eles estão em todas as instâncias de poder e se dizem contra a corrupção.

Há inclusive casos de médicos que não prestaram exames de vestibular. Pagaram a outros para fazê-lo. As denúncias  de fraudes veiculadas na mídia no Estado foram muitas e a maioria impune.

O concurso da Polícia Militar é mais um bichado.

Fez bem a justiça quando decidiu suspender o concurso público da Polícia Militar de Alagoas, em consequência das denúncias de fraudes denunciadas, envolvendo mais de 150 pessoas que haviam comprado gabaritos.

Aliás, as autoridades da área de segurança do executivo deveriam ter saído na frente no sentido da anulação. Fazer as coisas certas é dever.

E se a PMAL tem zelo pela sua imagem deveria ser a primeira a pedir a anulação do concurso e a prisão de todos os envolvidos na fraude. E mais: a imediata mudança da instituição organizadora.

Afinal, um concurso com denúncias de provas clonadas com gabaritos e aprovação de presidiários para uma instituição militar está além do surrealismo.

É a indecência explícita.