29 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Globo chama de censura decisão do Ministério e diz que não vai tirar filme de Gentili do ar

Emissora afirma que decisão da pasta de Justiça do governo Bolsonaro ofende princípio de liberdade de expressão

Globoplay e o Telecine não vão tirar o filme “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola” das suas plataformas de streaming. Isso porque consideraram como “censura” a determinação do Ministério da Justiça e da Segurança Pública, publicada no Diário Oficial da União de hoje (15), de suspender imediatamente a exibição.

O Grupo Globo está atenta às críticas de indivíduos e famílias que consideraram inadequados ou de mau gosto trechos” (…) “a decisão administrativa do ministério da Justiça de mandar suspender a sua disponibilização é censura. A decisão ofende o princípio da liberdade de expressão, é inconstitucional e, portanto, não pode ser cumprida“.

Leia mais: Para desviar de alta da gasolina, bolsonaristas chamam Gentilli de pedófilo por filme de 2017

O longa, que tem Fábio Porchat e Danilo Gentili no elenco, está no centro de uma polêmica encampada pelo secretário especial da Cultura, Mario Frias, que acusa o filme de pedofilia e apologia do abuso sexual infantil.

O filme já fora classificado em 2017 como apropriado para adultos e adolescentes a partir de 14 anos pelo próprio ministério da Justiça. E hoje é criticado pelo mesmo grupo de pessoas, que na época do lançamento, riram como nunca.

O deputado pastor da imagem acima é um dos que voltou atrás:

Em “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”, Fabio Porchat interpreta Cristiano, um homem com desvios sexuais e dono do caderno que o ex-colega (papel de Danilo Gentili) roubou na escola para escrever o guia de “pior aluno”, encontrado pelos protagonistas Pedro (Daniel Pimentel) e Bernardo (Bruno Munhoz).

Bastou chegar na plataforma, que uma cena fora de contexto começou a circular, na qual o personagem do Fábio Porchat tenta chantagear dois garotos dizendo que não conta algo para os pais deles em troca de atos sexuais.

O personagem do Porchat, no filme, é um homem discreto, de cabelo penteado, óculos e bigode. E que na cena começa com falas sobre moral e educação, mas é um pedófilo. Essa é a cena. Que quando lançado, em 2017, fez muito cidadão de bem rir bastante.

Cortina de fumaça

Com o Brasil se afundando em mais uma crise econômica, muito por ingerência do governo, a trupe bolsonarista começou a fazer barulho e viralizar o tema, acusando os envolvidos pela produção e as plataformas de streaming de pedofilia.

Ou seja: como sempre, o baque da realidade de incompetência do governo foi sentido. E como não há defesa disso, um novo problema foi criado.

Há ginástica mental para tentar mostrar a gasolina brasileira como uma das baratas do mundo (não se levado em conta o salário mínimo local) ou que tudo está acontecendo s[o por causa da guerra (que Bolsonaro evitou trazendo paz ao mundo), apesar do Brasil apresentar um dos piores índices no mundo.

Leia mais: Desinformando, bolsonaristas tentam justificar fake news como simples “memes”

Gentili disse que sente “orgulho” de ter conseguido “desagradar” em um mesmo nível de intensidade tanto os petistas quanto os bolsonaristas, e falou em “falso moralismo”.

Em 2017, antes de Bolsonaro ser eleito e sendo convidado no talk show do humorista, estava tudo lindo e maravilho. Agora que seu governo está com índices pífios e praticamente sem defesa, hora de atacar um ex-aliado.

O mais absurdo nisso tudo? Tem gado ainda caindo nessa de desvio de foco. O mesmo gado que ainda segue fechado com Bolsonaro. Apesar da gasolina já passando dos 10 reais o litro.