15 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Governador e prefeitos se reúnem e discutem situação dos municípios após fortes chuvas

Mais de 50 gestores se reuniram e discutiram ações para a recuperação dos municípios

Os prefeitos alagoanos se reuniram na manhã desta segunda-feira, 04, no Palácio República dos Palmares, em Maceió, para discutir os próximos passos para a reconstrução dos municípios após as fortes chuvas que caíram nos últimos dias.

Mais de 50 gestores estiveram reunidos com membros do Governo de Alagoas e outros órgãos como a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Casal, DER e Gabinete Civil para realizarem um balanço dos estragos deixados pelas inundações e cheias dos rios.

Os municípios alagoanos passam por um 3º período de fortes chuvas apenas em 2022. As primeiras chuvas caíram no final do mês de maio deixando 33 municípios em situação de emergência, durante o mês de junho mais uma temporada de chuva causou estragos nos municípios e agora, no início do mês de julho, 51 cidades são atingidas com os temporais.

De acordo com o último boletim da Defesa Civil,  mais de 47 mil alagoanos estão desabrigados e outras 8.880 pessoas estão desalojadas nos 51 municípios com situação de emergência reconhecida pelo Governo do Estado.

O presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), prefeito Hugo Wanderley, falou do importante papel daquele encontro para definir estratégias para construir uma rede de apoio entre os municípios, colaborando e integrando para amenizar os efeitos das chuvas.

“Os gestores estão focados em salvaguardar e preservar vidas, essa é a questão mais importante, retirar as pessoas das áreas de riscos. O segundo passo é abraçar os afetados e incentivarmos as doações de mantimentos como água potável, alimentos não-perecíveis, cobertores, itens de higiene pessoal e outros, para assim pensarmos na questão da infraestrutura”, afirmou Wanderley.

Abastecimento de água e distribuição de energia elétrica

Durante a reunião, a Casal informou que 42 municípios estão com o abastecimento comprometido ou sem água. O principal motivo para essa situação é que as fortes chuvas elevaram o nível de turbidez da água, prejudicando o processo de tratamento e, também, atingindo as estações da empresa, inclusive com danos a equipamentos.

A Companhia está fornecendo 15 caminhões pipa para auxiliar o abastecimento de água nas cidades.

A Equatorial Energia afirmou que a empresa passa por situações adversas e que cerca de 16 municípios já tiveram o fornecimento interrompido para evitar maiores danos.

Ações necessárias

O Governo de Alagoas destacou o importante papel do Governo Federal nesse momento e pediu celeridade e agilidade para a recuperação e reconstrução das estradas federais. As vias que cortam Alagoas são importantes para a locomoção de milhares de pessoas diariamente e para abastecimento das cidades. Com as vias comprometidas e/ou interditadas, um grande impacto econômico e social pode ser causado, lesando ainda mais os alagoanos.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) afirmou que nenhuma rodovia estadual está interditada e que a sobrecarga dessas estradas, devido à interdição das BRs, causa grandes prejuízos estruturais nas vias estaduais.

Resgate e socorro

O coronel Wolbeck, Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar, afirmou que todas as unidades estão atuando no socorro e resgate das vítimas nos municípios atingidos. O Grupamento Aéreo também faz parte dessa força tarefa e auxilia nos resgates dos moradores que estão ilhados.

Os gestores

O prefeito Júnior Carro Veio, de Jacuípe, externou sua preocupação com a situação do município que gere, um dos mais atingidos pela chuva. Falou das ações que tem tomado junto à sua equipe e reforçou os pedidos de ajuda.

Marcelo Beltrão, prefeito de Coruripe, município que sofre com os efeitos do temporal desde o início das chuvas, falou sobre a necessidade urgente em reconstruir as pontes que foram danificadas pelas chuvas para garantir o direito de ir e vir da população.

Além de Coruripe, outros municípios como Dois Riachos e Jundiá tiveram grandes prejuízos em suas estradas vicinais e pontes que ligam as regiões das cidades, e os prefeitos Ramon Camilo e Jorge Galvão, respectivamente, falaram da necessidade da rápida recuperação desses equipamentos de mobilidade.

O gestor municipal de Quebrangulo, Marcelo Lima, que já enfrentou os problemas de cheias anteriores, afirmou que os prefeitos devem montar uma estratégia de combate aos prejuízos causados pelas chuvas, focando na preservação de vidas e elencar as prioridades. Durante o encontro, propôs o estudo de viabilidade para que recursos do Fecoep (Fundo de Combate e Erradicação à Pobreza) fossem utilizados, para subsidiar os comerciantes que tiveram seus empreendimentos atingidos pelas chuvas.

Previsão de chuvas para os próximos dias

O Vinicius Pinho, da Sala de Alerta da Semarh, disse que a previsão para os próximos dias é de chuva fraca a moderada em todo o estado e sem previsão de fortes chuvas para as nascentes dos rios que hoje se encontram com o nível acima da média, com isso, a tendência a partir de agora é que o nível abaixe, voltando a correr dentro da normalidade.

Campanha Alerta Alagoas

A Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), junto com a Defesa Civil, continua a arrecadação de donativos para ajudar centenas de afetados, desabrigados e desalojados por causa das fortes chuvas. Os donativos arrecadados serão distribuídos nas cidades mais afetadas pelas fortes chuvas, de acordo com o decreto de situação de emergência, publicado pelo Governo do Estado.

A campanha Alerta Alagoas recebe itens como alimentos não perecíveis, água mineral, medicamentos, roupas, cobertores, lençóis, calçados, itens de higiene pessoal e itens de limpeza residencial. As doações devem ser entregues na sede da Associação, na Avenida Dom Antônio Brandão, 218, no bairro do Farol, ao lado da Seune, em Maceió.